POS ON-LINE PUC MINAS

Coluna do Aldeci Xavier – Preto no Branco

Coluna do Aldeci Xavier – Preto no Branco

SUCESSÃO INCERTA

Nos últimos dias temos visto profissionais da imprensa fazendo um prognóstico da sucessão em Minas Gerais, inclusive com citação de nomes e grupos envolvidos no processo. É fácil perceber que, na maioria dos casos, é, na prática, especulação política sem sustentação nos acontecimentos. Hoje, ninguém, em sã consciência, poderia traça um quadro da sucessão para 2018. Diante da crise política e moral que toma conta do País, torna-se impossível, inclusive, prever quem estará no cenário político na próxima semana. Basta dizer que os principais comandantes do processo estão envolvidos em graves acusações na Justiça, a exemplo da operação Lava-Jato e outras.

 

FIM DO CASAMENTO

Quem não navega no mundo político do Estado, certamente foi surpreendido com as declarações do vice-governador de Minas, Antônio Andrade (PMDB), na terça-feira, durante participação de evento em Uberlândia. Diante das Câmaras, ele declarou oficialmente o rompimento político com o governador Fernando Pimentel, alegando que o combinado não foi cumprido. O que poucos perceberam em sua fala é que o rompimento teria sido da sua ala. Resumindo: dentro do PMDB mineiro existem a ala que reza a cartilha do vice e outra na cartilha do governador Fernando Pimentel (PT).

ISOLADO

Se o governador Fernando Pimentel conseguir permanecer no cargo até a deflagração do processo sucessório de 2018, uma vez que responde na Justiça por vários processos, tudo indica que poderá derrotar o atual presidente do PMDB, vice-governador Antônio Andrade, dentro do seu próprio partido. É que os 13 deputados da agremiação na Assembleia já decidiram que vão acompanhar o presidente daquela casa, Adalclever Lopes, que não abre mão de permanecer como aliado de Pimentel. Aliás, não é por acaso que o líder do Governo na Assembleia Legislativa é o deputado Tadeu Martins Leite, que é do PMDB.

 

CORAÇÃO DE JESUS

Os organizadores da XXXII Vaquejada Nacional de Coração de Jesus, que acontece de hoje até domingo (1º a 4 junho) foram apanhados de surpresa com a decisão da Justiça de proibir a realização da vaquejada, atendendo ação civil pública ajuizada pela Promotoria Pública do Meio Ambiente com sede em Montes Claros. A decisão teria sido baseada na decisão do STF que considerou o esporte como crime ambiental de maus-tratos a animais. Aliás, a decisão foi da juíza substituta, Luciana de Oliveira Torres, que tomou posse naquela comarca nesta semana. Vale lembrar que a festa vai acontecer, já que foram mantidos os shows com artistas regionais e no sábado, apresentação de Mano Walter.

 

CIDADE SEM LEI

É preciso mais do que nunca que a Secretaria de Desenvolvimento Social de Montes Claros se manifeste em relação às dezenas de mendigos que perambulam pela área central da cidade, inclusive montando moradias em locais públicos. Na avenida Deputado Esteves Rodrigues, próximo ao conjunto Castanheiras, dos dois lados da avenida, pessoas fizeram da calçada uma moradia, com direito a colocar placa pedindo para não serem perturbados. O mais triste é que o episódio tem constrangido quem necessita usar o passeio. Infelizmente, a prefeitura tem comportado como se nada estivesse acontecendo.

GOVERNADOR

Infelizmente, até o fechamento da coluna, a assessoria do governador Fernando Pimentel ainda não havia divulgado a programação de sua visita a Montes Claros nesta quinta-feira.

Aldeci Xavier
Aldeci Xavier