SMART FIT - MONTES CLAROS

Turbo Pesquisa - CLIQUE AQUI PARA MIAS INFORMAÇÕES
Inicio » Montes Claros » Montes Claros – Alfabetização de jovens e adultos nas décadas de 1970 e 1980 resgatada em pesquisa da Unimontes

Montes Claros – Alfabetização de jovens e adultos nas décadas de 1970 e 1980 resgatada em pesquisa da Unimontes

Montes Claros – Alfabetização de jovens e adultos nas décadas de 1970 e 1980 resgatada em pesquisa da Unimontes

A história de alfabetizadoras no trabalho com jovens e adultos nas décadas de 1970 e 1980 será resgatada em um projeto de pesquisa da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). O estudo “Histórias de Alfabetizadoras de Adultos em Montes Claros: Modo de Pensar, Sentir e Agir (1970 – 1980)” também resultará na publicação de um livro.

Maria Augusta Veloso e Maria Davidinha Souza
Maria Augusta Veloso e Maria Davidinha Souza

Financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), o projeto é uma iniciativa dos Departamentos de Educação, de História e de Métodos e Técnicas Educacionais. Também envolve acadêmicos dos cursos de graduação em História e Pedagogia e, ainda, alunos do ensino médio, apoiados como bolsistas de iniciação científica da Fapemig.

A coordenação é da professora Rita Tavares de Melo, do Departamento de Métodos e Técnicas Educacionais, que explica que a pesquisa tem como objetivo geral “preencher lacunas da historiografia local, reconstituindo a memória de professoras alfabetizadoras, identificando dificuldades, problemas ou resistências, como também as possíveis vantagens no ofício de alfabetizar adultos, tendo como referência as décadas de 1970 a 1980”.

Outro ponto, observa, é de “identificar, descrever e analisar questões referentes sobre os saberes e as práticas mobilizadas pelas alfabetizadoras durante o processo de ensino aos adultos”, além de “analisar o modo como as professoras utilizavam o método didático na condução da atividade alfabetizadora, tendo em vista a necessidade de desenvolver habilidades de ler e compreender os textos”.

Conforme explica o professor João Olímpio Soares dos Reis, um dos professores da equipe técnica do projeto de pesquisa, já foram entrevistadas quatro professoras que trabalharam com a Educação de Jovens e Adultos (EJA) e, em especial, com o Movimento Brasileiro de Alfabetização (Mobral) nas décadas de 1970 e 1980: Maria da Conceição Ribeiro, Maria Davidinha Souza Dias, Maria Geralda Shirley e Alvarinda Elaine Viana.

Também são abordadas no estudo as professoras Cleonice Alves Proença, Amelina Chaves, Maria Augusta Alves Veloso e Alda Eliane Viana. As educadoras relataram suas histórias de vida, metodologia, recursos existentes, condições de trabalho, perspectivas e dificuldades enfrentadas.

OS PARTICIPANTES DA PESQUISA

A equipe técnica da pesquisa “Histórias de Alfabetizadoras de Adultos em Montes Claros: modo de pensar, sentir e agir (1970 – 1980)” é formada pelos professores: Filomena Luciene Cordeiro, João Olímpio Soares dos Reis, Shirley Patrícia Nogueira de Castro e Almeida e Roseli Aparecida Damaso.

Os estudantes bolsistas da Fapemig envolvidos no projeto são: Jeniffer Laviny Cardoso Pinheiro, Brenda Cardoso de Sousa, Emanuelle Fernandes, Luane Cardoso Pinheiro, Natália Andrade Ruas, Jéssica Tolentino, Michel Juliano Santos Lima, Loren Michelle Cardoso Silva e Maria Cecília Pereira Maia.

Como resultados do projeto de pesquisa estão programadas as seguintes ações: realização de exposição de acervo no hall da Biblioteca Central Professor Antonio Jorge (campus-sede), publicação de dois estudos de monografia, apresentação de trabalhos científicos em congressos, seminários e eventos acadêmicos da Unimontes como o Fórum de Ensino, Pesquisa, Extensão e Gestão (Fepeg) e o Fórum Biotemas. Ao final, em dezembro de 2017, será lançado um livro sobre o estudo.

Aviso

  • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *