Últimas Notícias

Montes Claros – Nascentes que cortam reflorestadora podem ajudar a minimizar crise hídrica em Montes Claros

Montes Claros – Nascentes que cortam reflorestadora podem ajudar a minimizar crise hídrica em Montes Claros

O que era para ser apenas uma visita a Reflorestadora Plantar, nesta sexta-feira (15), pelos  vereadores da Câmara Municipal, em busca de informações pode estar se transformando numa alternativa para ajudar a solucionar a crise hídrica em Montes Claros. 
Montes Claros - Nascentes que cortam reflorestadora podem ajudar a minimizar crise hídrica em Montes Claros
Montes Claros – Nascentes que cortam reflorestadora podem ajudar a minimizar crise hídrica em Montes Claros

 

A empresa que foi denunciada de contribuir para agravar a crise hídrica com o plantio de eucaliptos explicou aos vereadores que muitas informações estavam desencontradas e inverídicas.

Um grupo de 13 vereadores da Câmara Municipal conheceu in loco como a empresa trata o meio ambiente, as nascentes e as ações que desenvolvem. A Plantar Siderúrgica S/A está localizada entre os municípios de Juramento e Itacambira.
O representante da Plantar, Pedro da Silva, explicou que o objetivo da visita foi de dar oportunidade aos vereadores de saber de como funciona a empresa.
Durante a visita técnica, os vereadores conheceram as nascentes de Brejinho e Tia Dósia. No percurso, os técnicos explicaram que a preocupação da empresa sempre foi de preservar a mata nativa, e a realização de ações de conservação do solo,  além de manter áreas de reserva legal e de preservação permanente.
Em relação ao plantio de eucalipto, representantes da Plantar informaram que ele  acontece apenas durante o período chuvoso, entre os meses de outubro a abril, porque o consumo de água é menor, maior sobrevivência das mudas, e menor custo do plantio.
O presidente da Câmara Municipal, Cláudio Prates (PTB) disse que a visita foi necessária para que não se fizesse pré-julgamento em relação a empresa. “Nosso objetivo é de ajudar a nossa população na busca de alternativas para minimizar a crise hídrica no município.
Duas grandes nascentes cortam a Plantar, os rios Brejinho e Tia Dósia. A sugestão é de que a partir dessas nascentes a Copasa faça a captação ao invés de ser no rio Pacuí. A obra está orçada em R$140 milhões para retirar a água do filete que é o Rio Pacui.
A Plantar é uma empresa mineira, criada em 1984, dividida em industrial e florestal, e gera 700 empregos diretos e indiretos.
Encerrando a visita, o presidente Cláudio Prates entregou documento ao representante da Plantar, Pedro da Silva, onde reivindica uma parceria para ajudar no abastecimento de água, em Montes Claros.
“Para mudar a atual realidade vivenciada por cerca de 500 mil pessoas, solicitamos que a empresa Plantar S.A. apresente um Plano de Trabalho, colaborando para que minimize o GRAVE e CAÓTICO desabastecimento atual, tendo em vista que há um elevado impacto ambiental gerado pela produção do empreendimento, além do ganho econômico bastante satisfatório. No referido Plano deverá constar ações práticas como, por exemplo, o fornecimento de água por meio de caminhão-pipa ou a construção de uma adutora que deságue na Barragem de Juramento ou em Montes Claros”, afirma Cláudio.