PÓS-GRADUAÇÃO PUC MINHAS em MONTES CLAROS

Obtenha mais clientes com a sua ficha do Google
Inicio » Esporte » Taça Libertadores » Libertadores 2018 – Cruzeiro volta a mostrar pouca força ofensiva, fica no 0 a 0 e segue sem vitória

Libertadores 2018 – Cruzeiro volta a mostrar pouca força ofensiva, fica no 0 a 0 e segue sem vitória

Libertadores 2018 – Cruzeiro volta a mostrar pouca força ofensiva, fica no 0 a 0 e segue sem vitória

Pelo clima de decisão que o jogo se apresentava, o Cruzeiro poderia ter saído de Santiago na noite de ontem com um outro resultado, ainda mais com a goleada aplicada pelo Racing-ARG sobre o Vasco por 4 a 0. A equipe celeste teve chances, La U foi pouquíssima incisiva, mas o jogo ficou mesmo no 0 a 0. 

Libertadores 2018 - Cruzeiro volta a mostrar pouca força ofensiva, fica no 0 a 0 e segue sem vitória
Libertadores 2018 – Cruzeiro volta a mostrar pouca força ofensiva, fica no 0 a 0 e segue sem vitória

 

Um resultado que deixa o Cruzeiro com a total obrigação de vencer os chilenos na próxima semana em BH. Um jogo que promete ser puramente dramático.

O primeiro tempo poderia ser de lamentações em relação à entrada de Lucas Silva, uma das principais surpresas de Mano na escalação ao lado de Mancuello. No entanto, o volante foi o principal destaque da Raposa, não só na troca de passes e na busca pelos desarmes, mas também nas finalizações. A principal jogada de perigo do time celeste veio em um chute do volante, que acertou o travessão do experiente goleiro Johnny Herrera.

Mesmo jogando em seus domínios, La U acabou aceitando o toque de bola do Cruzeiro.

Veio então a segunda etapa. Mano Menezes, talvez satisfeito com o desempenho de sua equipe novamente sem um homem de referência no ataque, não mexeu na equipe. O jogo ficou aberto, com as equipes trocando ataques. Quem assustou de início foi La U, em um grande defesa de Fábio na cabeçada de Rodríguez.

Mas o Cruzeiro, assim como foi na etapa inicial, foi retomando as ações. Aos 23 min, Arrascaeta, mesmo puxado pelo defensor, penetrou na grande área e chutou cruzado. A bola “casquinhou” a trave. Com boas chances, Mano colocou em campo Sassá. Com um atacante, o time pressionou bastante, mas o gol, o tão esperado tento, não veio.

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *