Vaga no Bolso
Inicio » Minas Gerais » Bases móveis e blindados no interior de Minas Gerais

Bases móveis e blindados no interior de Minas Gerais

Modelo de segurança já adotado em Belo Horizonte, as bases comunitárias da Polícia Militar serão implantadas na região metropolitana e no interior de Minas a partir da semana que vem.

ATUALMENTE – Pelas ruas de Belo Horizonte, presença policial em bases comunitárias começou há um ano

 

Além de 120 veículos do tipo, a PM testa, no Sul do Estado, viatura blindada para combater explosões a caixas eletrônicos.

O direcionamento das bases móveis será realizado de acordo com o porte da cidade, concentração de pessoas e fluxo de automóveis.

“Serão 106 unidades distribuídas nesses municípios. As demais são de reserva para eventuais manutenções”, explicou o coronel Helbert Figueiró, comandante-geral da Polícia Militar de Minas Gerais.

Já para atuar na repressão de crimes contra instituições financeiras, com o envolvimento de explosivos, carros de grande porte com carroceria blindada serão posicionados em pontos estratégicos.

“O veículo está em teste desde a semana passada na região de Poços de Caldas (Sul) e vai percorrer algumas áreas, em um teste de adaptação da tecnologia”, detalhou Figueiró.

Os automóveis atuarão em localidades com maior número de casos de explosão a caixas eletrônicos. Conforme a corporação, eles estarão nas ruas diariamente. Cada carro tem custo aproximado de R$ 340 mil.

Segundo o governador Fernando Pimentel, a Polícia Militar está autorizada a adquirir 20 viaturas do tipo para o trabalho de prevenção, combate e cerco a essas ocorrências. O projeto deve girar em torno de R$ 7 milhões.

CRIMES

O reforço foi anunciado nesta semana após reunião de Pimentel com o Comitê de Segurança Pública. No encontro, foram analisados dados de crimes ocorridos de janeiro a agosto deste ano, comparados a igual período de 2017.

De acordo com o levantamento, dez dos 12 delitos monitorados registraram queda. “Diminuíram, inclusive, os crimes violentos, como homicídio e roubo. Explosões a caixas eletrônicos caíram cerca de 50% em relação a 2017”, afirmou o secretário de Estado de Segurança Pública, Sérgio Barboza Menezes. Para ele, o recuo é atribuído à integração entre as forças de segurança, repressão qualificada e proteção social.

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.O espaço de comentários em nossos artigos é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *