Vaga no Bolso

Turbo Pesquisa - CLIQUE AQUI PARA MIAS INFORMAÇÕES
Inicio » Montes Claros » Montes Claros – Câmara Municipal de Montes Claros cobra e apresenta projetos para a falta de médicos

Montes Claros – Câmara Municipal de Montes Claros cobra e apresenta projetos para a falta de médicos

Montes Claros – Câmara Municipal de Montes Claros cobra e apresenta projetos para a falta de médicos

Montes Claros – A falta de médicos nos postos de saúde tanto na cidade quanto nas comunidades rurais foi mais uma vez tema de discussão na Câmara de Vereadores de Montes Claros. Com os crescentes casos de gripe e dengue, postos de saúde e pronto socorros da cidade estão sempre cheios e o problema se agrava com a falta de profissionais para atender a demanda. Esta semana vereadores visitaram locais onde funcionam Estratégia Saúde da Família (ESFs) e Unidade Básica de Saúde.

Montes Claros - Câmara Municipal de Montes Claros cobra e apresenta projetos para a falta de médicos
Montes Claros – Câmara Municipal de Montes Claros cobra e apresenta projetos para a falta de médicos

 

O Presidente da Casa, Vereador Marcos Nem (PSD) e o prefeito Humberto Souto, estiveram na UPA Alpheu de Quadros. Eles viram de perto as dificuldades enfrentadas pelos pacientes e profissionais O Presidente alertou sobre a necessidade urgente de melhorar o atendimento e a estrutura do hospital.

“Principalmente nesse período de tantos casos de gripe e dengue. Deixar o paciente esperando tanto tempo chega a ser desumano”, completou Marcos Nem que ainda ressaltou que as visitas supressas vão continuar.

O Vereador Valcir da Ademoc (PTB), destacou que o problema não é só na cidade. Ele também cobrou da Secretária de Saúde a substituição urgente dos médicos. “Tem ESF sem médico há cinco meses. É só melhorar um pouco o salário, que os profissionais vão aceitar trabalhar”, reclamou o parlamentar.

SERVIÇO VOLUNTÁRIO 

O Presidente da Comissão de Saúde da Casa, Vereador Doutor Marlon (PTC), também visitou o Alpheu de Quadros. Ele alertou sobre a demora e a forma que os pacientes são atendidos.
“Vi pacientes esperando mais de oito horas. É desumano e injusto com quem está sofrendo por exemplo com a dengue. A gente sabe que algumas pessoas mal conseguem ficar em pé” comentou o vereador que também é médico. Comovido com a situação, o parlamentar cobrou providências da prefeitura e se prontificou a ajudar no atendimento, doando dois dias de trabalho por semana no hospital.

“Farei isso até que essa fase de dengue passe. Combinarei o dia com a Secretaria de Saúde. Quero fazer meu papel de fiscalizador e ajudar a cidade enfrentar essa fase difícil”, completou Dr Marlon.

POSSÍVEIS SOLUÇÕES

Buscando amenizar a situação na cidade os vereadores, Maria Helena Lopes (PPL) e Idelfonso da Saúde (MDB), apresentarão ao Secretário de Planejamento e Gestão, Cláudio Rodrigues de Jesus, uma proposta de realização de concurso na área da saúde. A ideia do concurso seria para atendera demanda de médicos, enfermeiros, dentistas e agentes de saúde. Uma forma de valorizar os profissionais.

Alguns médicos recebem salário diferente de outros, isso porque o programa “Saúde da Família” recebe verba federal. Um salário em torno de R$7 mil e o “Mais Médicos” que também é um programa federal paga em torno de R$11 mil. Esse é um dos motivos porque os médicos preferem ir para outras cidades, para atender pelo programa que paga mais. Esse problema não é só em Montes Claros. Outra situação que complica o quadro de médicos é que em outras cidades as prefeituras acabam pagando mais. Uma forma de atrair profissionais. Por isso os vereadores entendem que Montes Claros precisa rever a questão salarial destes trabalhadores.

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas. Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *