Matrículas Aberta - Escola Adventista

Últimas Notícias

SAIBA MAIS AQUI - FAÇA CLICK

Inicio » Montes Claros » Montes Claros – Copasa vai buscar água no São Francisco para abastecer Montes Claros

Montes Claros – Copasa vai buscar água no São Francisco para abastecer Montes Claros

Montes Claros – Copasa vai buscar água no São Francisco para abastecer Montes Claros

Montes Claros – A falta de chuva no Norte de Minas, sobretudo nos pontos de captação da Copasa, tem aumentado a possibilidade de racionamento de água em Montes Claros. Para solucionar o problema de vez na cidade, a empresa afirma que iniciará, até o fim deste ano, o processo licitatório para buscar água no rio São Francisco, em Ibiaí.

Montes Claros - Copasa vai buscar água no São Francisco para abastecer Montes Claros
Montes Claros – Copasa vai buscar água no São Francisco para abastecer Montes Claros

 

De acordo com o superintendente da Copasa, Luis Roberto Botelho, o projeto para captação no Velho Chico já está pronto e a empresa já tem a verba disponível. A nova obra vai levar água de Ibiaí a Coração de Jesus, no rio Pacuí, onde a Copasa já tem tubulação para trazer o recurso até Montes Claros.

Luis Botelho explica que essa é a segunda parte do projeto que visa acabar de vez com a falta de água na maior cidade do Norte de Minas pelos próximos 30 anos. A empreitada custará R$ 188 milhões, com a construção de 91 quilômetros de tubulação. A previsão é a de que seja concluída em dezembro de 2021.

O sistema de captação do Pacuí custou cerca de R$ 100 milhões, com 56 quilômetros de tubulação. Ele alerta que a obra não isentará a região de continuar atrás de novas fontes de água.

“Buscando água em Ibiaí, vamos garantir abastecimento até 2048. Daqui 30 anos será preciso outra fonte de abastecimento e, até lá, a Barragem de Congonhas será importante. O que a cidade ganhou foi um prazo maior para viabilizar Congonhas”, disse Botelho.

Depois de concluído, o sistema conseguirá captar, no tempo de seca, 500 litros por segundo (l/s). Hoje, no período sem chuva, o Pacuí fornece apenas 100 l/s.

PACUÍ 

Em outubro, a reportagem mostrou que o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) declarou situação de escassez hídrica em parte da bacia do Pacuí, utilizado para o abastecimento, além de Montes Claros, de Coração de Jesus e São João da Lagoa.

O instituto determinou a redução da captação diária em 20% para consumo humano e abastecimento público; 25% para irrigação; 30% para indústria e 50% para demais destinações. As restrições seguem até 30 deste mês.

Contrária ao projeto de captação de água no Pacuí, a Prefeitura de Coração de Jesus, logo após a decisão, voltou a acusar a Copasa pela baixa no volume de recursos hídricos no rio.

O secretário de Agricultura do município, José Maurício Melo, chegou a protocolar uma segunda ação no Ministério Público do Meio Ambiente relatando o problema. “O povo está assustado, pois nunca vimos o rio nesta situação. Logo depois que a Copasa começou com isso (captar água), as lavouras não têm mais irrigação, pois a água não chega às bombas”, disse à época.

O superintendente da Copasa afirmou que o impacto na captação do Pacuí é mínimo e que a empresa faz monitoramento às 6h, 12h e 18h para definir a quantidade de água que será captada.

“O que acontece é que, neste intervalo, existe um consumo de uso não autorizado acima da nossa captação. Muita irrigação acima da captação e os órgãos competentes estão combatendo isso”, diz Botelho.

Por Carlos Castro Jr. do Portal O Norte

Aviso

  • • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)

7 comentários

  1. Não adianta nada em garantir água, é preciso investir em recuperação das nascentes onde se capita a água.

  2. Aelson Bispo de Oliveira

    E verdade culpa do homem q.acabou com as nascentes. Desmato tudo as vegetações para plantar eucalipto agora tem tentar pelo menos recuperar os manacias

  3. Arnaldo de Oliveira Filho

    Infelizmente isso agravará ainda mais a situação do velho chico nas cidades abaixo como são Francisco, Januaria e Itacarambi onde o rio quase já não tem por onde se navegar. Uma lastima essa decisão. Onde estão os órgãos de proteção do velho chico?

  4. Não somente as nascentes devem ser recuperadas, mas também as matas ciliares. Assim como a proibição peremptória de usar os rios como esgoto.

  5. A água do são Francisco é imprópria para o consumo Alto teor de sal e poluição roubaram tanto na implantação destes projetos que de barrocão em jequitai e só 55 km aí os caras não constrói a barragem de jequitai porque?

  6. Saudade, do meu tempo de infância em Bocaiúva Norte Minas, onde o grilo canta e, a taboca estória. Tudo era grande, a chuva, os rios e as matas. Hoje falta tudo

  7. Até então não vi uma proposta de revitalização da bacia do Pacuí.
    A Copasa simplesmente vai lá tira a água de onde tem, quando acaba vai embora. Aí sim, vamos ter um futuro incrível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *