Últimas Notícias

As máscaras faciais bloqueiam até 99,9% das gotículas grandes que transmitem o coronavírus

Eficácia do equipamento de proteção não exclui o distanciamento social e o uso do álcool em gel.

Desde março de 2020, quando a pandemia de coronavírus foi anunciada, o uso de máscaras faciais passou a fazer parte do dia a dia de todas as pessoas. No início, o equipamento era recomendado para pessoas com sintomas, depois, ficou claro que era mais seguro todos utilizarem o acessório.

Para evitar problemas de falta de estoque, foi sugerida a ideia de buscar pelas versões em tecido, laváveis e reutilizáveis. Assim, as máscaras descartáveis poderiam permanecer com os profissionais de saúde.

Houve um período em que surgiram dúvidas sobre a eficácia das máscaras de tecido. No entanto, uma pesquisa produzida por universidades do Reino Unido, publicada pela revista Royal Society Open Science, provou que elas são muito seguras.

Assim, o uso de máscara comfort ou qualquer outro modelo impede que 99,9% das gotículas grandes cheguem até uma pessoa. O estudo comprovou quanto é essencial continuar usando o item, mesmo após receber a vacina.

Distanciamento social e álcool em gel ainda são importantes

Apesar de o estudo mostrar a eficácia das máscaras em relação às gotículas maiores, com maior carga viral, ainda não é indicado ignorar o distanciamento social e o álcool em gel. Por mais que tenham menos chances de contágio pelo vírus, as gotículas microscópicas podem passar pelas máscaras.

O estudo não conseguiu definir uma porcentagem segura de proteção em relação ao conjunto de partículas microscópicas. Por isso, ainda é necessário se proteger de outras maneiras, como evitar aglomerações ou ficar muito perto de outra pessoa para conversar.

Saliva e tosse são as principais formas de contágio

Quanto falamos ou tossimos, eliminamos bastantes gotículas de saliva. Elas são invisíveis a olho nu, mas podem carregar o vírus. Se você estiver usando a máscara, sua saliva não chegará até outras pessoas. Então, você estará se protegendo e fazendo isso por outros indivíduos.

Nível infeccioso

Apesar de o estudo mostrar quanto a máscara é essencial para todos, ainda é difícil determinar o que é mais infeccioso: as macros ou as micropartículas. Ficou claro que a máscara consegue conter gotículas de saliva maiores, mas ainda é preciso ter cuidado com as partículas aerossóis. Assim, o melhor é continuar atento, lembrando que o item precisa ser trocado e higienizado para não perder a eficácia.

Cuidados com a máscara

Mesmo com a garantia de 99,9% de proteção contra as macrogotículas, você deve continuar tendo alguns cuidados com sua máscara. Veja mais detalhes abaixo.

Trocar a cada duas horas

A máscara não tem proteção 24 h. Em média, você deve trocá-la a cada 2 h. No entanto, se o dia estiver mais quente, e você notar que o item está úmido, pode trocá-lo antes do horário limite. Também não é recomendado permanecer com a mesma máscara após tossir ou espirrar.

Higienizar com água e sabão

Lave todas as máscaras usadas com água e sabão neutro. Deixe-as de molho em uma mistura de água com alvejante sem cloro por alguns minutos. Em seguida, passe o sabão e enxágue muito bem. Deixe-as secar ao vento, pendurando sempre pelo elástico.

Passar após a lavagem

Depois de lavar e secar muito bem, é importante passar a máscara, para garantir que esteja completamente higienizada e pronta para um novo uso. Passe-a em ferro quente, no modo lã ou algodão, tanto na parte interna quanto externa. Evite apenas passar o ferro no elástico, para não estragar.

Guardar em plástico separado

Depois que lavar e passar a máscara, você deve mantê-la guardada em uma embalagem individual. Pode ser um plástico, desde que limpo. Cada equipamento deve ter um espaço próprio.

Separar máscaras usadas das limpas

Precisou sair e vai ter que manter máscaras usadas e limpas na bolsa? Então, separe-as. Deixe uma sacolinha exclusiva para as que já estão sujas e mantenha as que não foram usadas no plástico de proteção.