Últimas Notícias

Entenda melhor como funciona o seguro de motos

Ao comprar uma moto, muitas pessoas ficam em dúvida na hora de escolher um seguro. Com isso em mente, juntamos aqui nesse artigo tudo sobre seguros, seus valores e diferenças. Dessa forma, poderemos contribuir para a sua escolha!

Para que serve um seguro?

Em primeiro lugar, é importante destacar que o seguro para motos funciona de maneira igual ao de carro. Sua maior função é diminuir o prejuízo do motorista contra roubos, colisões, furtos, acidentes envolvendo outras pessoas, etc.

Existem seguradoras que irão cobrir tudo isso e outras que só cobrirão alguns eventos, e com tudo isso o valor vai variar, alguns preços podendo ser mais altos do que a moto em si.

Em resumo, é possível assinar um seguro que só te proteja de roubos e furtos, pois assim o preço ficará mais acessível.

Um outro fator que implica no valor da seguradora serão os riscos aos quais o veículo é exposto. Se você circula muito por regiões com altos índices de roubo, o preço será maior, ou até mesmo se sua faixa etária também está dentro das pessoas que mais se envolvem em acidentes.

Para descobrir tudo isso, as seguradoras vão te pedir seus dados pessoais, como endereço, histórico de roubos e acidentes, data de nascimento e local onde você estaciona a moto durante a noite.

Qual o valor de um seguro para moto?

Existem sistemas que simulam o valor de acordo com sua situação específica. Um exemplo que foi simulado é de um homem, 45 anos, casado e sem filhos que mora na zona norte de São Paulo. Ele costuma usar sua moto para ir ao trabalho.

Sua moto Yamaha, com valor médio de R$ 9.350,00 teria o preço do seguro estimado em R$ 1.088,57. Podemos perceber que valor do seguro é caro comparado a moto, e mesmo assim a cobertura é somente para roubo e furto.

Existem diversos outros tipos de seguros, portanto, é necessário pesquisar para conseguir algum que você considere valer a pena e que esteja dentro do orçamento. Dessa forma, será possível economizar bastante dinheiro.

Quais são os tipos de seguro?

Existem diversos tipos de cobertura, mas colocaremos aqui os dois principais, o compreensivo e o não-compreensivo.

  • Seguro compreensivo:
    Esse tipo é o mais completo, pois cobre a moto de vários tipos de situações. Algumas delas são o assalto, incêndio, colisão, entre outros. No entanto, a proteção contra esses tipos de perda não é completa. Ou seja, se você amassar a moto em um acidente, se os danos forem menores do que 75% do total do veículo, você deverá arcar com parte do valor dos reparos e a seguradora com o restante.
  • Seguro não-compreensivo:
    Nesse tipo de cobertura, ela é somente com coisas específicas. É possível contratar para roubos e furtos ou para colisões. Por conta de sua menor abrangência, o valor será menor que o primeiro seguro, e ele cobrirá danos totais, quando a moto não é encontrada ou os danos a ela são maiores que 75%. Ao fazer a cotação, será possível ver que nem todas as seguradoras oferecem o compreensivo e o não-compreensivo, então é importante ficar atento às suas opções antes de fazer a escolha.

Como saber se vale a pena ter um seguro?

Cada caso é um caso, e para responder essa pergunta é importante avaliar as suas necessidades. Por isso, escrevi abaixo condições nas quais seria prudente ter um seguro e quando não seria.

É recomendável fechar com uma seguradora se:

  • Você utiliza a moto constantemente, para todos os lugares que você sai. Quanto maior a locomoção, maiores as chances de um acidente, assalto ou furto acontecerem.
  • Você mora ou frequenta uma grande metrópole ou um lugar considerado perigoso, onde a ocorrência de roubos é alta.
  • Se você utiliza muito os “corredores para motos”
  • Você costuma usá-la para viagens longas.

Não é recomendável fechar um seguro se:

  • Você mora em uma cidade pequena, ou seja, seus trajetos são bem curtos e em locais pouco movimentados. Sendo assim, o risco de acidentes e colisões diminuem consideravelmente.
  • Se você circula por lugares nos quais não têm muitos assaltos.

Em resumo, quanto maior for o risco de algo acontecer com seu veículo, mais recomendável seria de a proteger com um seguro. Cada situação é única, então cabe a você avaliar a sua e ver o que é melhor para os seus interesses.

É sempre bom também comparar os preços e coberturas de diversas seguradoras, avaliando qual delas tem o melhor custo-benefício.

Conclusão

Nesse artigo, vocês puderam ver que o seguro de motocicletas é muito parecido com o de carros, com pouquíssimas diferenças. Falamos sobre os tipos de seguros, possibilidades de coberturas, quando valeria a pena contratar o serviço e quando é desnecessário. Além disso, expliquei o que é que causa o aumento e a baixa de preços dos seguros.

Espero ter ajudado na sua decisão com as dicas aqui mencionadas!