Inicio » Internacional » Europa » Europa – Líder da Catalunha assina decreto que convoca plebiscito

Europa – Líder da Catalunha assina decreto que convoca plebiscito


Reviewed by:
Rating:
5
On 27 de setembro de 2014
Last modified:27 de setembro de 2014

Summary:

Europa - Líder da Catalunha assina decreto que convoca plebiscito

O líder regional da Catalunha, Artur Mas, assinou neste sábado um decreto que convoca um plebiscito sobre a independência local para 9 de novembro.

Europa - Líder da Catalunha assina decreto que convoca plebiscito
Europa – Líder da Catalunha assina decreto que convoca plebiscito

“A Catalunha quer falar, quer ser ouvida, quer votar”, disse.

O governo central em Madrid disse que vai agir rapidamente para bloquear a votação no Tribunal Constitucional da Espanha. Assim que o Tribunal concordar em ouvir o caso, a Catalunha pode ser proibida por uma liminar de realizar o plebiscito até que uma decisão final seja tomada, o que poderia levar meses. O líder catalão deu indícios de que ele iria acatar a decisão do tribunal, mas ele está enfrentando pressão na região de muitos grupos de cidadãos que querem ir adiante com a consulta popular, independentemente das circunstâncias.

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, disse na sexta-feira que ele deve presidir uma reunião de emergência do gabinete sobre o assunto na segunda-feira, depois de voltar de uma visita à China. Falando a repórteres em Pequim, Rajoy citou um provérbio chinês que foi interpretado como uma mensagem para Mas: “É melhor voltar atrás do que perder-se no caminho.”

A vice-premiê, Soraya Sáenz de Santamaría, afirmou que o governo central deve tomar ações “com agilidade e rapidez” para travar o referendo, colocando toda “a máquina do Estado por trás disso”.

Artur Mas sinalizou que, se for impossível realizar o plebiscito ele pode convocar eleições parlamentares antecipadas para servir como um indicativo, que daria os eleitores a oportunidade de escolher uma lista de candidatos pró-secessão.

Os separatistas catalães dizem que o governo central prejudica a região ao tirar receitas fiscais, sem oferecer deferência à sua língua e cultura. O governo central alega que a Catalunha recebe benefícios econômicos ao ser uma parte da Espanha e também tem autonomia suficiente sob o abrigo da constituição da Espanha.

Fonte: Dow Jones Newswires.

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaços abaixo são destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail valido).