POS ON-LINE PUC MINAS

MG – Governo estimula produção para consolidar Minas como maior exportador de joias e bijuterias

MG – Governo estimula produção para consolidar Minas como maior exportador de joias e bijuterias

Estudo inédito vai ajudar a direcionar as ações de fomento à moda mineira junto a grandes e pequenos empreendedores, especialmente no interior do estado.

Em ensaio, modelo Ariel Moura (Mega Models) exibe joias do designer Carlos Penna
Em ensaio, modelo Ariel Moura (Mega Models) exibe joias do designer Carlos Penna

 

O segmento de joias, semijoias e bijuterias é responsável por 34,8% do total das exportações em Minas Gerais, assim como por empregar 127 mil pessoas e responder por 15,2% do total de postos de trabalho gerados pela indústria de transformação mineira. Destaque, ainda, para o fato de as micro e pequenas empresas representarem 98% do total do setor e para a participação da moda na indústria, que é maior que a média do estado em 135 cidades. Os dados são da pesquisa inédita feita pela Fundação João Pinheiro, a pedido da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), divulgada neste mês de outubro, com a contabilização de 10.094 estabelecimentos de atividades de moda.

Os números revelam que Minas Gerais é o maior estado brasileiro exportador nesse segmento. E mais que isso: vão servir para que o governo estadual direcione as ações de fomento no setor da moda, especialmente voltados para a inclusão dos pequenos empresários do interior do estado, que são predominantes no mercado mineiro.

O designer de joias, Carlos Penna, de Coronel Fabriciano, no território Vale do Aço, é um dos empreendedores que integram a cadeia produtiva da moda em Minas. Sua empresa produz cerca de 200 semijoias por mês e tem a intenção de ampliar a produção. As peças são vendidas em Minas Gerais, São Paulo, Espirito Santo e Recife. O próximo passo é ganhar o mercado internacional. Nesse contexto, ele considera fundamental a participação dos pequenos investidores em grandes eventos.

“Acho muito importante essa abertura do mercado para os empreendedores que estão no interior do estado, pois, antes, o foco era concentrado nas capitais, deixando as empresas do interior de fora desse nicho”, avalia o empresário, que foi destaque na 19ª edição do Minas Trend, com o primeiro lugar no 3º Prêmio Empresa Tendência. Para o empresário, o espaço viabilizado pelo Minas Trend contribuiu para maior visibilidade das marcas regionais.

A empresária Marina Irffi de Freitas, de Belo Horizonte, por sua vez, aposta no uso de pedras naturais. Quartzos, pedra da lua, topázios, ônix e outras dão charme a brincos, anéis, colares e pulseiras banhadas em ouro. Marina, estreante no Minas Trend, acredita que o evento trouxe a chance de ampliar a rede de contatos, apresentar a marca e, claro, fazer negócios. “Fizemos muitos contatos e entregamos cartões de visita. Agora é aguardar os interessados”, comenta.

Cadeia produtiva

De acordo com a diretora de Fomento à Indústria Criativa da Codemig, Fernanda Machado, incluir os pequenos empresários é fundamental para o crescimento da economia do estado. “Hoje, cinco territórios concentram 75% da riqueza gerada pela moda em Minas Gerais. Nosso objetivo é fazer com que todas as regiões participem dessa cadeia, gerando mais lucros e empregos diretos e indiretos”, salienta.

Outra medida, de acordo com a diretora, é dar acessos aos empreendedores regionais à qualificação oferecida na capital. “Existe uma demanda de capacitação técnica nos empreendimentos do interior para conquistar outros territórios do estado. A intenção é oferecer cursos, contatos e discussões que os ajudem a ampliar as vendas”, afirma a diretora.

Outras inciativas do Governo do Estado também viabilizam o crescimento do mercado da moda mineira, dentre elas, o foco na internacionalização da moda, aproximando os setores – têxtil (vestuário), couros (calçados e bolsas), joias e bijuterias do mercado estrangeiro.

Vale destacar que a cadeia produtiva de joias, semijoias e bijuterias compreende as atividades de extração mineral, indústria de lapidação, artefatos de pedras, indústria joalheira e de folheados e bijuterias. Clique aqui para acessar outras informações sobre este segmento de mercado.

Indústria criativa 

O projeto Minas de Todas as Artes – Programa Codemig de Incentivo à Indústria Criativa -, criado para propiciar o desenvolvimento de novos negócios que gerem empregos, renda e riquezas, também contempla o mercado de joias e semijoias. Até o fim de 2018, serão investidos mais de R$ 20 milhões em iniciativas de valorização dos setores de moda, gastronomia, audiovisual, design, música e novas mídias.

Outras informações sobre a indústria criativa podem ser encontradas em:
www.codemig.com.br/atuacao/industria-criativa/