POS ON-LINE PUC MINAS

Coluna da Jerusia Arruda – Direto de Brasília

Coluna da Jerusia Arruda – Direto de Brasília

FERIDAS SOCIAIS

Como toda metrópole, Brasília tem de tudo, do melhor e do pior. Entre os itens piores, certamente está o lixão da Estrutural, considerado pela Organização das Nações Unidas (ONU) o maior lixão a céu aberto da América Latina e o segundo maior do mundo. Mas, nesta quarta-feira, o governador do DF, Rodrigo Rollemberg, garantiu, em entrevista à imprensa, que o lixão será desativado até o próximo mês de outubro. O Diário Oficial do DF inclusive publicou nesta quarta-feira, as nove cooperativas que estão credenciadas para trabalhar com a triagem do lixo. O que não for reciclável será enviado ao Aterro Sanitário. Para o governador Rollemberg, o fim do lixão representa “um salto civilizatório”, mas, para a associação de catadores, “é o fim do ganha-pão para 2 mil pessoas trabalham no lixão”.

MEDO DE DIRIGIR

No mês em que se realiza o Movimento Maio Amarelo, com a proposta de chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo, o Departamento de Trânsito (Detran) do DF realiza uma promoção diferente. Os condutores brasilienses que têm medo de assumir o volante terão a oportunidade de participar de um curso de Iniciação à Superação ao Medo de Dirigir.  O curso é gratuito e, para participar, basta ter Carteira Nacional de Habilitação. A duração é de 28 horas/aula e vale para condutores habilitados em qualquer categoria.

CONSCIENTIZAÇÃO

Um ato simbólico na Esplanada dos Ministérios marcou as comemorações do Dia Mundial de Conscientização aos Portadores de Lúpus, celebrado em 10 de maio. Integrantes da Associação Maria Vitória (Amavi), que ampara pacientes diagnosticados com doenças raras e crônicas no Distrito Federal, soltaram balões roxos no início da noite desta quarta-feira, colorindo o céu acima do Senado Federal. Desde segunda-feira, a cúpula do Senado está iluminada na cor roxa em apoio à campanha. O lúpus é uma doença inflamatória crônica e autoimune e, segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, estima-se que existem cerca de 65 mil pessoas com a doença no Brasil. Embora a causa não seja conhecida, sabe-se que fatores genéticos, hormonais e ambientais agem para o seu desenvolvimento.

DUPLICAÇÃO DA BR-251

Os mineiros do Norte do Estado aguardam com grande expectativa a obra de duplicação da BR-251, que liga Montes Claros, maior cidade da região, à BR-116, no Vale do Jequitinhonha. Esta será a primeira obra efetivamente acompanhada pela Comissão de Obras Paradas, coordenada pelo deputado Zé Silva (Solidariedade/MG), na Câmara dos Deputados. Segundo o parlamentar mineiro, a duplicação da via é uma das obras emergenciais da pauta da Comissão.

RECURSOS PARA DUPLICAÇÃO DA BR-251

Para viabilizar a duplicação da BR-251, a Comissão de Obras Paradas da Câmara dos Deputados propôs firmar parceria de trabalho com os órgãos do Executivo e Legislativo, por meio da ação da Comissão, para apresentar emenda ao Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentarias para 2018. A Comissão também vai propor à Bancada do Estado de Minas Gerais a apresentação de emenda impositiva destinada à duplicação da BR. Segundo o coordenador da Comissão, deputado Zé Silva, o desafio agora é contar com a sensibilidade e a participação da Bancada Mineira para que a proposta seja aceita. A duplicação da BR-251 foi o primeiro compromisso do mandato do parlamentar mineiro, quando assumiu uma cadeira na Câmara, em 2011.

CALAMIDADE FISCAL

Depois de muito debate, o Plenário da Câmara dos Deputados finalmente concluiu a votação do Projeto de Lei Complementar (PLP) 343/17, do Poder Executivo, que cria o Regime de Recuperação Fiscal dos Estados e do Distrito Federal para ajudar os estados endividados em troca de contrapartidas. A matéria, aprovada nesta quarta-feira, na forma do substitutivo do deputado Pedro Paulo (PMDB-RJ), será enviada ao Senado. A proposta beneficiará, em um primeiro momento, estados em situação de calamidade fiscal, como Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. A adesão ao regime dependerá da aprovação de leis estaduais impondo restrições nos gastos.

PEC DA VAQUEJADA É APROVADA

A Câmara também aprovou, na quarta-feira, a PEC 304/17, do Senado, que não considera cruéis as práticas desportivas que utilizem animais, como a vaquejada, se forem registradas como manifestações culturais e bem de natureza imaterial integrante do patrimônio cultural brasileiro. A aprovação, em primeiro turno, foi de 366 votos a favor e 50 contra. A matéria ainda precisa passar por um segundo turno de votação na Câmara. O argumento que mais pesou nos debates para a aprovação da proposta foi a manutenção dos milhares de empregos gerados com a atividade.

 

Jerusia Arruda
Jerusia Arruda