Últimas Notícias

Limitação da Internet fixa é ilegal e dificulta o dia a dia do consumidor

Limitação da Internet fixa é ilegal e dificulta o dia a dia do consumidor

Limitação da Internet fixa é ilegal e dificulta o dia a dia do consumidor
Limitação da Internet fixa é ilegal e dificulta o dia a dia do consumidor

 

Imagine que você está assistindo a um vídeo ou a um filme usando a Internet ou simplesmente navegando nas redes sociais e, de repente, o conteúdo começa a demorar a rodar. Você percebe que a operadora cortou o acesso ou diminuiu a velocidade da sua rede porque você atingiu o limite da franquia contratada.

Isso é ilegal e vai dificultar a vida de todos aqueles que utilizam a Internet para o lazer, para estudar e, sobretudo, trabalhar. Mas é o que as operadoras querem: implementar a franquia limitada de consumo de banda larga fixa.

Na última terça-feira, dia 23, participamos de uma audiência pública na Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados, em Brasília, defendendo o consumidor contra a inciativa da Claro, da Net, da Oi, da Tim e da Vivo. A audiência foi convocada pelo Deputado Celso Russomanno para discutir o Projeto de Lei nº 7182/2017 que veda a implementação da franquia limitada de consumo nos planos de banda larga de Internet fixa.

Luta contra as teles não é de hoje 

Desde 2015, quando as empresas de telecomunicações passaram a cortar  o acesso à Internet, após o consumidor ter utilizado a franquia de dados contratada, lutamos contra esse tipo de conduta. Essa prática é ilegal, pois contraria o Marco Civil da Internet, que estabelece o acesso à Internet como fator de cidadania e prevê que a interrupção do serviço somente seja feita nos casos de inadimplência do usuário.

Desde então, questionamos na Justiça, por meio de ações coletivas ajuizadas contra as empresas Claro, Oi, Net, Tim e Vivo, a limitação e o bloqueio da Internet. Mas você também pode nos ajudar nessa luta, participando da campanha “Diga não ao bloqueio da sua Internet fixa”, que já conta com a participação de mais de 160 mil consumidores.

Participe você também!

Vamos continuar manifestando nossa opinião contrária à limitação e ao bloqueio da conexão à Internet em todos os debates e fóruns de discussão, para que os seus direitos sejam respeitados.