POS ON-LINE PUC MINAS

Coluna do Aldeci Xavier – Preto no Branco

Coluna do Aldeci Xavier – Preto no Branco

RUY TINHA RAZÃO

Em 2015 e 2016, diversos segmentos da sociedade se posicionaram contra o então prefeito Ruy Muniz, que resolveu colocar o dedo na ferida da saúde e enfrentar os prestadores de serviço, suspeitos de não estarem produzido o que foi compactuado. Hoje, a administração do prefeito Humberto Souto, que na época se posicionou a favor dos hospitais, reconhecem que Muniz estava certo e usa o mesmo argumento. Em documento encaminhado aos membros da Comissão Regional e Comissão Intergestora Ampliada de Saúde do Norte de Minas, a Secretária de Saúde, Dulce Pimenta, em nome de Souto, alega que é inviável o retorno da gestão dos serviços hospitalares, o que somente será possível em agosto de 2018, e pede que seja aceito o novo prazo.

 

JUSTIFICATIVA SAÚDE

A primeira alegação apresentada pela prefeitura para não receber a saúde plena é de que ainda não realizou encontro entre as prestadoras hospitalares, secretaria Municipal de Saúde, Secretária de Estado de Saúde e Conselho Municipal de Saúde. Justificou a secretária que a regra de avaliação do sistema de contratualização não é ainda do conhecimento do Município e não está totalmente clara, tendo em vista que é previsto desconto no caso de descumprimento de contrato.

 

DÚVIDAS NO PROCEDIMENTO

O mais grave no documento entregue à Comissão Intergestora ao afirmar que tem dúvidas entre o que é produzido pelas prestadoras e a diferença entre produção, pagamento e contrato. Afirma categoricamente a secretária que há diferença a favor das prestadoras que não estão registradas nos contratos atuais com o Estado gerando uma obrigação de pagamento de extrapolamento, sem a garantia formal do contratante. Dulce Pimenta cita que “os valores em milhões de reais que envolve todo o processo ainda são fator de dúvida entre o que foi produzido pelos prestadores e a diferença entre produção, pagamento e contrato”.

 

CADÊ O MP

Usei praticamente todo o espaço da coluna para produzir quase que na íntegra o documento que a Secretaria de Saúde de Montes Claros enviou à Comissão Intergestora para solicitar novo prazo para assumir a gestão plena da saúde. Diante do que foi exposto, cabe ao Ministério Público investigar os fatos, já que em 2015 e 2016 acabou oferecendo denúncias contra o então prefeito Ruy Muniz por ter feito tais questionamentos.

 

RECORREU NA JUSTIÇA

O ex-vereador Antônio Silveira (Rede), e o suplente, Celso Câmara (PMN), recorreram ao TRE-MG para tentar garantir a recontagem dos votos em Montes Claros permitindo que assuma uma cadeira no legislativo nas vagas de Idelfonso da Saúde e Ailton do Vilage. A este respeito, é possível prever que dificilmente conseguirão o objetivo. Eles alegam que o sistema adotado pelo TSE para definir os eleitos está errado. Estão esquecendo que se a Justiça Eleitoral for favorável ao pedido, terá que fazer recontagem em todo o País.

SENADOR RONAN

Na noite de quarta-feira, conversei com o empresário Ronan Tito, que foi secretário do Trabalho no Governo de Tancredo Neves em 1983, e eleito senador em 1986 pelo PMDB. Ronan, hoje com 86 anos, estava acompanhado de um dos filhos e se limitou a dizer que veio fazer uma visita de cortesia ao prefeito Humberto Souto. É evidente que veio como empresário. Como é da área de torrefação de café, fica as dúvidas em relação à conversa.

 

Aldeci Xavier
Aldeci Xavier