Empréstimo Consignado para aposentados, pensionistas do INSS

Últimas Notícias
Casa das Apostas Online Betway

MG – Estudo sobre o Jequitinhonha busca reconhecimento da cerâmica como patrimônio

MG – Estudo sobre o Jequitinhonha busca reconhecimento da cerâmica como patrimônio

Identificar e inventariar os saberes, técnicas e tradições relativas ao artesanato em barro do Vale do Jequitinhonha para o seu reconhecimento como patrimônio cultural imaterial de Minas Gerais são os objetivos do projeto “Arte em Barro: a Cerâmica do Vale do Jequitinhonha”, capitaneado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG).

Arte em barro produzida no Vale do Jequitinhonha é reconhecida como uma das características da região
Arte em barro produzida no Vale do Jequitinhonha é reconhecida como uma das características da região

 

A primeira etapa da ação será a realização de um cadastro dos artesãos/ceramistas da região por meio de um formulário disponível no portal do órgão.

Para a diretora de Proteção e Memória do Iepha-MG, Françoise Jean de Oliveira Souza, o Jequitinhonha possui uma produção cultural riquíssima, sendo que a arte realizada a partir do barro é uma das mais expressivas e representativas da região.

“Além de contribuir para o aumento da renda e o desenvolvimento humano, o artesanato do Jequitinhonha, enquanto um ofício, predominantemente feminino, leva-nos a conhecer, por meio de suas formas e temáticas, a realidade cotidiana das mulheres do vale, marcada por muita luta e êxodos, mas também, por alegrias, beleza e muita sensibilidade”, relata a diretora.

Ao final, um estudo será apresentado ao Conselho Estadual de Patrimônio Cultural (Conep) para solicitar o reconhecimento desse saber tradicional como patrimônio cultural de Minas Gerais.

Simbolismo

A diversidade cultural encontrada em Minas Gerais é reflexo dos inúmeros grupos sociais que formaram o Estado em diferentes períodos históricos. Indígenas, africanos, europeus contribuíram para compor a complexa rede de trocas simbólicas, comumente chamada de cultura mineira, que, de maneira geral, tem certas especificidades se comparadas com expressões de outras localidades.

Tal é o caso do artesanato em barro feito na região do Vale do Jequitinhonha que tem como particularidade a apropriação de técnicas indígenas de modelagem, que desconhecem o uso do torno.

Atualmente, inúmeros artesãos espalhados por toda a região, vivem da produção de esculturas policromadas que representam animais, paisagem, tipos humanos, seres imaginários e atividades cotidianas.

Combinando refinamento estético e autenticidade, a arte do Jequitinhonha vem obtendo reconhecimento nacional e internacional. A atividade também vem se mostrando uma possibilidade real de melhoria nas condições sociais do Jequitinhonha, já que promove a permanência dos indivíduos na região, impedindo o êxodo e a fragmentação familiar.

Quer saber as notícias do Jornal Montes Claros em primeira mão? Siga-nos no Facebook @jornamoc, Twitter @jornalmoc e Instagram @jornalmoc.