Inicio » Colunistas » Jerusia Arruda » Coluna da Jerusia Arruda – Direto de Brasília

Coluna da Jerusia Arruda – Direto de Brasília

Coluna da Jerusia Arruda – Direto de Brasília

CORRUPÇÃO IGNORADA

A ousadia do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante a abertura da Assembleia Geral da ONU, quando ameaçou destruir totalmente a Coreia do Norte, certamente foi minimizada pelos brasileiros, diante da frieza do presidente Michel Temer, que fez um discurso de 17 minutos na mesma tribuna, e disse que o Brasil “atravessa um momento de transformações decisivas”, em referência às reformas econômicas, indiferente à segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República contra ele, e ignorando a corrupção e a crise política que atravessa o País.

MORTES NO TRÂNSITO

A Câmara dos Deputados realiza durante esta semana (de 18 a 22/09) a Semana Nacional de Trânsito. Uma das ações previstas é a análise das emendas dos senadores ao projeto que cria o Plano Nacional de Redução de Mortes no Trânsito (PL 8272/14). A proposta, aprovada pela Câmara no ano passado, com o objetivo de reduzir à metade, no prazo de dez anos, o índice nacional de mortos em acidentes de trânsito no País, foi alterada no Senado, e agora volta à Câmara para ser analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e, depois, pelo Plenário da Câmara.

DESCONTO NA APOSENTADORIA

O deputado Zé Silva (Solidariedade/MG) apresentou Projeto de Lei (PL 8593/2017) que propõe limitar pelo período de um ano a validade da autorização de beneficiários da Previdência Social para o desconto de mensalidades de associações e demais entidades de aposentados legalmente reconhecidas, devendo ser renovadas a cada ano. De acordo com o parlamentar, a medida tem o objetivo de proteger os aposentados e pensionistas e impedir descontos indevidos. Somente em 2014, esses descontos representaram mais de R$ 300 milhões, sendo uma parte considerável oriunda de mensalidades cobradas de quem sequer tinha ciência da existência da entidade destinatária da verba.

SALÁRIOS FATIADOS

Apesar dos protestos, o governador Rodrigo Rollemberg disse, nesta terça-feira, durante a inauguração de um shopping em Águas Claras, que terá de parcelar os salários dos servidores públicos, por falta de recursos. Segundo o governador, o fatiamento dos salários só poderá ser evitado com a aprovação das novas regras da previdência do servidor público do Distrito Federal pela Câmara Legislativa.

CURA GAY

O deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) entrou com uma representação no Conselho Nacional de Justiça contra o juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, que proferiu uma liminar autorizando psicólogos a tratarem gays, lésbicas e bissexuais como doentes, em um movimento que ficou conhecido como “cura gay”. Na representação contra o juiz, Orlando elenca diversas decisões judiciais e estudos da área de Psicologia que mostram que a homossexualidade não pode ser tratada como doença.

GOVERNO IMPOPULAR

Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), e divulgada nesta semana, apontou rejeição de 75,6% ao governo de Michel Temer. O levantamento é um retrato do que pensa a população brasileira, abordando temas relacionados à política, economia, emprego, renda, saúde e educação. A pesquisa aprontou, ainda, que apenas 10,1% dos brasileiros aprovam o desempenho pessoal do presidente da República. A repercussão na Câmara dos Deputados veio rápido. O deputado Darcísio Perondi (PMDB/RS) disse que o presidente governa sem olhar as pesquisas e que “Temer não quer ser popular, ele quer resolver os problemas do País”, disse.

 

Jerusia Arruda
Jerusia Arruda

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaços abaixo são destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail valido).