Inicio » Norte de Minas » Norte de Minas – Policiais Militares são chamados para registrar uma ocorrência e se envolvem em uma briga generalizada em Salinas

Norte de Minas – Policiais Militares são chamados para registrar uma ocorrência e se envolvem em uma briga generalizada em Salinas

Norte de Minas – Policiais Militares são chamados para registrar uma ocorrência e se envolvem em uma briga generalizada em Salinas

Norte de Minas - Policiais Militares são chamados para registrar uma ocorrência e se envolvem em uma briga generalizada em Salinas
Norte de Minas – Policiais Militares são chamados para registrar uma ocorrência e se envolvem em uma briga generalizada em Salinas

 

Uma confusão entre policiais militares e populares em uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) em Salinas, no Norte de Minas, tomou as redes sociais na manhã desta segunda-feira (13). Um vídeo gravado por um cinegrafista amador mostra a polícia agredindo homens e mulheres tanto dentro como fora da unidade de saúde. Cinco pessoas foram presas e um inquérito foi instaurado pela própria Polícia Militar (PM) para apurar o caso.

Segundo informações da 11ª Região da Polícia Militar, o caso aconteceu na tarde desse domingo (12). Pelo vídeo, é possível notar que a confusão começa com uma discussão. Em seguida, dois policiais militares entram em cena e algemam um homem no que parece ser a sala de espera do pronto-socorro. Os envolvidos discutem e um dos policiais parece dar um tapa no homem detido. Em seguida, três outras pessoas se aproximam dos PMs, que saem da unidade com o homem algemado. Em seguida, outras pessoas aparecem na cena e o preso está no chão da parte externa da UPA.

A situação fica mais complicada quando um segundo homem é preso e dominado por quatro policiais. Os oficiais começam a chutar e dar socos no homem e uma mulher se aproxima gritando, aparentemente insatisfeita com a confusão. Imediatamente, um PM agride e derruba a mulher com um forte tapa no rosto. Ele ainda a arrasta pelos cabelos. Em seguida, o primeiro preso se levanta e entra na confusão, até ser agredido novamente com chutes até cair. Confira o vídeo:

 

O vídeo chega ao fim com uma segunda mulher se aproximando da primeira, que teve os cabelos puxados, e falando algo com um policial. O oficial, rapidamente, lança um tapa no rosto da mulher, também a derrubando no chão. Em seguida, o primeira preso leva mais um tapa no rosto após dizer algo aos policiais. Depois disso, a confusão acaba e os militares mobilizam no chão os dois homens e a primeira mulher.

Versão da PM

Por meio de nota, a assessoria de imprensa da 11ª Região da Polícia Militar informou que compareceu ao local após ser acionada para conter algumas pessoas que estariam causando transtornos às atividades da UPA. Elas estariam “com visíveis sinais de embriaguez”. No local, a guarnição policial teria se deparado com dois homens, de 19 e 25 anos, que estariam muito exaltados, xingando os funcionários do hospital e exigindo serem atendidos antes dos demais pacientes que aguardavam. Eles teriam se envolvido em uma briga momentos antes e um deles estaria ferido.

A corporação informou que os militares tentaram acalmar os ânimos dos envolvidos, mas foram desacatados, o que fez com que dessem voz de prisão aos homens. A polícia informou que eles resistiram a ação policial e que, por isso, teve que fazer “uso diferenciado da força”. A corporação também informou que enquanto os militares tentavam algemar os homens, duas mulheres, de 23 e 35 anos anos, teriam tentado impedir a ação dos policiais, tendo, inclusive, segundo relatos de testemunhas, avançado sobre o armamento dos oficiais, sendo detidas em seguida.

Ao todo, cinco pessoas foram presas, sendo três homens e duas mulheres. Ele foram conduzidos a delegacia de Polícia Civil. A polícia informou que dois dos militares envolvidos na confusão tiveram escoriações, uma vez que teriam levado chutes, e que os populares tiveram lesões leves.

O comandante da 11ª Região da PM, major Giovane Rodrigues de Oliveira, informou que teve conhecimento do vídeo na noite deste domingo e que, com base nas imagens, determinou a abertura de um inquérito policial em caráter de urgência para ouvir todos os policiais e presos envolvidos no tumulto.

A reportagem tentou contato com a direção da UPA de Salinas e com a delegacia de Polícia Civil de Taiobeiras, mas ainda não obteve retorno. Já a Prefeitura de Salinas informou que ainda está apurando os fatos, mas que tem conhecimento de que os funcionários da unidade de saúde acionaram a polícia após uma briga começar no local. Os envolvidos teriam se envolvido em uma briga durante uma festa de família e um dos feridos teria ido até a UPA.

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaços abaixo são destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail valido).



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *