Inicio » Colunistas » Jerusia Arruda » Coluna da Jerusia Arruda – Futuro Ministério

Coluna da Jerusia Arruda – Futuro Ministério

Coluna da Jerusia Arruda – Futuro Ministério

FUTURO MINISTRO

Primeira mudança na reforma ministerial, nesse fim de semana, o presidente Michel Temer escolheu o deputado federal Alexandre Baldy (GO) para comandar o Ministério das Cidades. Deputado de primeiro mandato, Baldy é um dos principais aliados do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Em 2012, foi alvo de uma CPI como tendo participado de esquema comandando em Goiás pelo empresário dos jogos de azar, Carlos Cachoeira. Mas Baldy disse que a CPI funcionou exclusivamente como vingança do PT contra o governador de Goiás, Marconi Perillo, e que as gravações que citam seu nome são “montagem”.

“NÃO VAI SER DIFÍCIL”

Durante o Congresso Nacional do PCdoB, realizado em Brasília neste domingo (19), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que “não vai ser difícil” ganhar as eleições presidenciais de 2018, mas defendeu uma mudança de estratégia dos partidos de esquerda para barrar as propostas do governo Michel Temer no Congresso, como a reforma trabalhista que disse considerar um retrocesso com relação aos avanços das gestões petistas. Lula avaliou que a oposição está fragilizada, lamentou que não tenha conseguido barrar o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, e disse que, se não fosse pela sua teimosia e a do PT, não teria chegado à Presidência da República.

FARMÁCIA POPULAR

O programa Farmácia Popular, do Ministério da Saúde, deverá passar por mudanças nos próximos dias. Após fechar cerca de 400 farmácias da rede própria que mantinha no programa, o governo vai mudar o modelo de pagamento para as farmácias credenciadas. De acordo com o ministro Ricardo Barros, o objetivo é reduzir gastos. Hoje, as farmácias recebem um reembolso do governo a cada produto dispensado, com base em uma a tabela valores de referência. A proposta é renegociar esses valores. Outra via estudada pelo governo é estabelecer um valor fixo pelo procedimento de entrega do medicamento. As mudanças ainda dependem de negociação.

SÁBADO DE PROTESTO

Um grupo de católicos fez um protesto em frente ao Museu Nacional da República contra exposição Contraponto, da coleção de Sérgio Carvalho, no último sábado (18). Segundo os manifestantes, o protesto é contra obras do artista que desdenham “publicamente o objeto de culto religioso”. O Movimento Legislação e Vida também fez uma petição on-line para o Governo do Distrito Federal, em que pede o cancelamento da mostra. No documento, o grupo diz que a “cada dia temos visto uma ofensiva contra os princípios e valores cristãos em nosso país, através de manifestações artísticas que agridem a fé de milhões de brasileiros”.

CONTRATPONTO

A exposição Contraponto segue aberta ao público até 25 de fevereiro de 2018, na Galeria 2 do Museu Nacional da República. Com curadoria da historiadora Tereza de Arruda, a mostra foi concebida com obras da Coleção Sérgio Carvalho. Este acervo é composto por mais de 1,9 mil obras de 164 artistas brasileiros. Segundo a produtora, Daiana Dias, nenhuma das obras que foram informadas e repudiadas pelo movimento estão presentes na exposição. Para ela, o protesto teria sido sem fundamento algum.

 

Jerusia Arruda
Jerusia Arruda

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaços abaixo são destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail valido).