Publicidade

Inicio » Colunistas » Jerusia Arruda » Coluna da Jerusia Arruda – Percepção da Corrupção

Coluna da Jerusia Arruda – Percepção da Corrupção

Coluna da Jerusia Arruda – Percepção da Corrupção

PERCEPÇÃO DA CORRUPÇÃO

O Brasil caiu 17 posições e atingiu a pior colocação em 5 anos no ranking sobre percepção da corrupção, produzido pela ONG Transparência Internacional. O levantamento, divulgado nesta quarta-feira (21), foi realizado em 180 países. No ranking de 2017, o Brasil passou a ocupar a posição número 96 entre 180 países e territórios, ante a colocação número 79 na pesquisa anterior, ficando atrás de países como Timor Leste, Sri Lanka, Burkina Faso, Ruanda e Arábia Saudita.

PEÇAS QUE SE ENCAIXAM

Isolado do próprio partido e cada vez mais próximo do grupo liderado pelo senador Aécio Neves (PSDB), o deputado federal Rodrigo Pacheco (MDB) decidiu, junto com executiva do DEM, em reunião nesta quarta-feira, na Câmara Federal, que deixará o ninho emedebista e se filiará ao DEM, legenda pela qual disputará o Governo de Minas. Na reunião, também ficou definido que o candidato a vice será indicado pelo prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS).

PUXADINHO

Um dia depois de ter dito que o Palácio do Planalto não vai ditar a pauta do Congresso, o presidente do Senado, Eunício Oliveira, disse, nesta quarta (21), que defende a harmonia entre os poderes, mas que é firme na defesa do poder que ele preside e que nenhum outro poder vai transformar o Senado em puxadinho. O senador destacou que relação dele com o Executivo e com o Judiciário é harmônica.

NOVO DEPUTADO

O suplente Junji Abe (PSD-SP), tomou posse nesta quarta-feira (21), na Câmara, assumindo o restante do mandato de Paulo Maluf, que cumpre pena no Presídio da Papuda, em Brasília. Ex-governador de São Paulo e ex-prefeito da capital, Maluf está preso desde dezembro, cumprindo pena de sete anos e nove meses pelo crime de lavagem de dinheiro. Junji Abe foi prefeito de Mogi das Cruzes, em São Paulo, por duas vezes, vereador, deputado estadual e deputado federal. Ele responde a processos na Justiça e chegou a ser condenado em segunda instância por improbidade administrativa.

REITEGRAÇÃO DE POSSE

Há mais de um mês a Câmara está tentando reaver o apartamento funcional ocupado pelo deputado afastado Paulo Maluf (PP-SP). No fim do ano passado, o Supremo Tribunal Federal determinou a suspensão do pagamento do salário e das verbas relacionadas ao mandato do parlamentar, preso desde dezembro. A medida incluiu a devolução do apartamento, mas a Câmara já enviou duas notificações, sem sucesso. O próximo passo é acionar a Advocacia-Geral da União para que o órgão ingresse com uma ação de reintegração de posse na Justiça Federal. A defesa de Maluf garante que as chaves serão devolvidas até a próxima semana e atribui a demora ao período de recesso parlamentar e ao feriado de Carnaval.

INTERVENÇÃO FEDERAL

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou a intervenção federal no Rio de Janeiro com uso das Forças Armadas, na área da segurança pública. Em entrevista à rádio Jovem Pan, nesta quarta-feira, o ministro destacou que essa medida, prevista na Constituição Federal, é uma ação emergencial. De acordo com o magistrado, é necessário investir em políticas que produzam efeitos duradouros.

 

Jerusia Arruda
Jerusia Arruda

Leia Também

Acesse agora as promoções de passagens de aéreas nos voos de Montes Claros para SP e Porto Seguro

* Por: da redação - 21 de setembro de 2018. Nesta sexta-feria (21/09) é possível …

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.O espaço de comentários em nossos artigos é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *