Vaga no Bolso
Inicio » Internacional » Ásia » Meninos presos em caverna na Tailândia vão receber aulas de mergulho

Meninos presos em caverna na Tailândia vão receber aulas de mergulho

Meninos presos em caverna na Tailândia vão receber aulas de mergulho

Os 12 meninos e seu treinador de futebol isolados pela água há dez dias em uma caverna inundada na Tailândia receberão alimentos para quatro meses e aulas de mergulho para o resgate, anunciou a Marinha.

Meninos presos em caverna na Tailândia vão receber aulas de mergulho
Meninos presos em caverna na Tailândia vão receber aulas de mergulho

 

Os meninos, com idade entre 11 e 16 anos, e seu treinador, de 25 anos, foram localizados na noite de segunda-feira (2) -sãos e salvos- no interior da caverna, cuja saída foi bloqueada por inundações há dez dias.

Um vídeo gravado pelos socorristas e publicado nas redes sociais mostra o grupo de meninos magros, vestidos com camisas de futebol sujas de lama, refugiados em uma saliência da caverna cercada pela água.

Um grupo de médicos foi enviado para examinar os meninos e avaliar sua capacidade para mergulhar, a partir desta terça-feira ou em alguns dias, dependendo do seu estado.

Enquanto isto, os socorristas seguem bombeando ao máximo a água para fora da caverna visando facilitar o resgate dos meninos, que deverão percorrer quatro quilômetros até a saída.

“Será preciso treiná-los (…). Vamos ver do que são capazes”, declarou o governador da província de Chiang Rai, Rarongsak Osottanakorn, que chefia equipe de resgate.

A TV tailandesa acompanha em tempo real as operações.
Os mergulhadores encontraram os meninos a uma centena de metros de “Pattaya Beach”, a zona da caverna onde acreditavam que eles estariam refugiados, agora inundada.

Nopparat Kantawong, o técnico principal do clube de futebol dos meninos, se disse convencido de que o esporte e o espírito de equipe foram fundamentais para sua sobrevivência.

Bom Estado de Saúde

Os 12 meninos e seu treinador de futebol presos há nove dias em uma caverna na Tailândia se encontram em “bom estado de saúde”, mas têm poucas chances de serem resgatados nesta quarta-feira (4). As equipes de resgate tentam reduzir o nível de água antes das chuvas previstas para sexta-feira (6).

O governador da província de Chiang Rai, Narongsak Osottanakorn, que lidera a célula de resgate, declarou que um resgate ainda hoje seria “difícil”, já que o nível de água segue elevado, apesar do sistema de bombeamento instalado no local.

Graças a esse sistema, “a água tem baixado um centímetro por hora, o que não é ruim dado o tamanho da caverna”, explicou.

A marinha tailandesa publicou nesta quarta-feira um novo vídeo deas crianças.

“Após comerem, todos foram examinados por um médico militar”, revelou a Marinha, sem precisar em que momento serão retirados e como pretende fazer isto através de um longo trecho de caverna inundada.

No vídeo, gravado na terça-feira, 11 meninos fazem uma saudação, dizem seu nome e revelam: “estou bem de saúde”.

A Marinha não explicou porque o 12º menino e o treinador não gravaram suas mensagens.

“Estou muito feliz”, reagiu a mãe de um dos meninos, Bew, ao ver o vídeo exibido pelos socorristas em um tela sob uma barraca, não muito distante da entrada da caverna.

“Ele está magro”, assinalou a mulher ao ouvir a mensagem do filho.

O grupo já começou a ser treinado para o mergulho, mas os socorristas salientaram que não pretendem se precipitar com a evacuação, que será complicada.

Evacuação difícil 

“Devemos ter 100% de certeza no momento de decidir a operação”, que poderia acontecer em vários grupos de crianças, completou.

De fato, a operação de resgate será difícil e os socorristas já advertiram que não se precipitarão na hora de realizá-la, pois deverão percorrer quilômetros sob a água.

Os meninos – com entre 11 e 16 anos – foram encontrados com seu treinador, 25, na noite de segunda-feira, sãos e salvos, após ficarem isolados na caverna devido a fortes chuvas.

O primeiro passo foi restabelecer a força, uma vez que os meninos ficaram dias sem comer.

O grupo já está sendo treinado para percorrer mais de quatro quilômetros de veios estreitos, incluindo vários trechos inundados para as quais serão equipadas com cilindros de oxigênio.

“Fazer mergulho em cavernas é muito técnico e perigoso, especialmente para mergulhadores iniciantes. Por isso, pode ser melhor ajudá-los na caverna até que possam ser removidos por outros meios”, avaliou Anmar Mirza, coordenador da Comissão Nacional americana de Resgate Subterrâneo.

Um mergulhador veterano leva seis horas para percorrer essa distância, indicaram as equipes de resgate.

As equipes de resgate detectaram vários poços na vertical da caverna. E nos últimos dias, a floresta foi desmatada perto de um deles para permitir o pouso de helicópteros visando uma possível evacuação por via aérea.

Mas, por enquanto, não foi provado que um desses poços esteja ligado ao trecho da caverna onde estão os meninos.

A opção principal continua sendo a entrada da caverna, onde técnicos, especialmente japoneses, trabalham para drenar a água. Quanto mais baixo o nível de água, menos as crianças terão que percorrer com equipamento de mergulho.

No entanto, quanto mais o tempo passa, maior o risco de novas inundações nesta temporada de monções no Sudeste Asiático.

Dezenas de mergulhadores foram mobilizados para esta operação, com equipamentos vindos da Austrália, Grã-Bretanha, Japão, China e trinta soldados americanos, que auxiliam os milhares de resgatistas tailandeses envolvidos no resgate.

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.O espaço de comentários em nossos artigos é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *