Vaga no Bolso

Inicio » Esporte » Brasileirão » Atlético segura pressão, bate o líder no Horto e se consolida no G6

Atlético segura pressão, bate o líder no Horto e se consolida no G6

Existem vitórias e vitórias. Contra um São Paulo, então líder do Campeonato Brasileiro, invicto há sete jogos e que só tinha perdido dois jogos em 22, a vitória teve outro gosto, que pode até de dar novos rumos a um Galo de altos e baixos na competição.

Atlético segura pressão, bate o líder no Horto e se consolida no G6

 

Sem apatia, bem mais vibrante que os três últimos jogos e com a torcida cantando do primeiro ao último minuto, o Atlético venceu o tricolor paulista nesta quarta-feira, no Independência, por 1 a 0, se consolidando no G-6, abrindo seis pontos do sétimo colocado e diminuindo para oito a distância para a ponta da tabela.

Foi a primeira vitória atleticana no returno, que dá ao time 38 pontos e a confiança para as partidas finais. Na próxima segunda-feira, recebe o Atlético-PR, no Horto

O discurso de Ricardo Oliveira, tão incisivo na terça-feira, pedindo o apoio da Massa e prometendo empenho, de fato, surtiu efeito. Não foi um futebol brilhante, mas bem mais aguerrido, tal como tinha proposto o Pastor.

O técnico Thiago Larghi, que não tinha confirmado o time anteriormente, surpreendeu de  certa forma, sacando Zé Welison e colocando Matheus Galdezani, deixando o time mais ofensivo. Sem Chará, que está na seleção colombiana, o treinador deu vez ao argentino Tomás Andrade que, no fim das contas, quase nada produziu.

Com apenas 8 min, Ricardo Oliveira fez provar que as palavras proferidas.  Ele não fez o gol, mas a cabeçada na trave acabou no gol contra de Régis. Assim, de cara, o jogo ganhou outro contorno. Se Diego Aguirre, de volta ao Independência para um jogo contra seu ex-clube, imaginava postar o time no contra-ataque, mas precisou propor o jogo.

O time paulista teve mais volume tanto no primeiro quanto no segundo tempo. Aos 6 min da segundaetapa, o time paulista pediu pênalti numa bola que bateu no braço de Leonardo Silva na área, mas O árbitro Anderson Daronco nada marcou.

Com jogadores da qualidade de Nenê e Reinaldo, ambos perigosos nos arremates de média distância, o São Paulo tomou conta da do jogo, com Victor salvando uma ou outra. Larghi precisou mexer, promovendo a estréia do atacante Leandrinho e reforçando a marcação com Zé Welison, alterações que ajudaram a controlar o ímpeto tricolor até o apito final, mesmo com certo sofrimento.

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.O espaço de comentários em nossos artigos é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *