Vaga no Bolso

Inicio » Mais Seções » Saúde » Saúde – Síndrome das unhas fracas atinge 20% da população

Saúde – Síndrome das unhas fracas atinge 20% da população

Saúde – Síndrome das unhas fracas atinge 20% da população

Segundo a especialista Tatiana Gabbi, esse problema afeta mais as mulheres, mas também atinge os homens.

Saúde - Síndrome das unhas fracas atinge 20% da população
Saúde – Síndrome das unhas fracas atinge 20% da população

 

As unhas têm papel importante nas atividades cotidianas das pessoas, incluindo a questão estética que é inquestionável. Parte da população tem um problema nas unhas, conhecido como síndrome das unhas fracas, que caracteriza-se pela fragilidade da unha, que pode se apresentar com a superfície rugosa, tornar-se quebradiça e descamativa.

“Este problema é mais comum do que se imagina. Está presente em cerca de 20% da população e atinge duas vezes mais as mulheres do que os homens”, destaca a médica dermatologista, Tatiana Gabbi.

Algumas situações podem contribuir para o aparecimento da síndrome. A lâmina da unha é composta de diversas camadas de células mortas, que ficam aderidas umas às outras por uma espécie de “cola”. A utilização de produtos de limpeza e solventes presentes em alguns esmaltes e removedores faz com que essa “cola” seja removida e, assim, as camadas da unha e separem, surgindo os primeiros sinais.

A dermatologista Tatiana Gabbi pede atenção especial às unhas que quebram com facilidade e engancham nas roupas e cabelos, unhas descamativas, cujas pontas apresentam 2 ou 3 camadas sobrepostas, aparecimento de manchinhas brancas que saem com o lixamento e unhas amolecidas ou finas, que dobram com facilidade.

“O primeiro passo para o tratamento é uma boa alimentação, mas a abordagem nos cuidados das unhas envolve uma série de medidas comportamentais como: Evite deixar as unhas compridas, realize o corte das unhas amolecidas, não remova as cutículas, não manipule determinadas substâncias de cozinha e de limpeza sem o uso de luvas, faça pausas de pelo menos 2 ou 3 dias sem esmalte”, explica a dermatologista.

Quando o problema já está instalado é recomendável, muitas vezes, além dos cuidados citados acima, utilizar produtos específicos para auxiliar no tratamento. É o caso de suplementos alimentares contendo proteínas, vitaminas e minerais. Além disso, produtos de uso tópico, que contenham queratina, biotina, e extratos vegetais podem ajudar na hidratação, no fortalecimento e na proteção das unhas.

“No primeiro sinal de unhas fracas, é importante buscar auxílio de um médico, para que a causa do problema seja identificada e devidamente tratada”, ressalta dra. Tatiana Gabbi.

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.O espaço de comentários em nossos artigos é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *