Inicio » Minas Gerais » PF faz busca e apreensão em endereços da família de Aécio Neves

PF faz busca e apreensão em endereços da família de Aécio Neves

PF faz busca e apreensão em endereços da família de Aécio Neves

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, 20, a segunda fase da Operação Ross, que tem como objetivo investigar suposta propina paga pelo do Grupo J&F, entre 2007 e 2014, ao senador Aécio Neves (PSDB). São cumpridos 3 mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao política mineiro na capital mineira.

PF faz busca e apreensão em endereços da família de Aécio Neves
PF faz busca e apreensão em endereços da família de Aécio Neves

 

A reportagem do jornal Montes Claros esteve num desses endereços, no Bairro Sion, de um apartamento que seria da mãe do senador, e flagrou a chegada de duas viaturas da Polícia Federal, que se juntaram a seis policiais federais que já se encontravam no local. Ninguém da corporação falou com a imprensa.

A reportagem apurou também que o apartamento não é utilizado pela mãe, que mora no Rio de Janeiro, e guarda apenas pertences da família de Aécio.

Além da mãe, o primo do senador, Frederico Pacheco e uma empresa de comunicação que seria de Frederico em sociedade com a irmã do político, a jornalista Andrea Neves. Os mandados foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, após solicitação da Polícia Federal.

A primeira fase fez deflagrada no dia 11 de dezembro e fez buscas em endereços ligados ao senador, à irmã dele, Andréa Neves, e ao deputado federal Paulinho da Força (SD-SP).

Ross é um desdobramento da Operação Patmos, deflagrada pela PF em maio de 2017. Os valores investigados, que teriam sido utilizados também para a obtenção de apoio político, ultrapassam os R$ 100 milhões.

Segundo o Ministério Público Federal, em troca dos recursos financeiros, Aécio teria prometido favorecimentos em um eventual governo presidencial (2015 a 2018) além de influência junto ao governo estadual de Minas Gerais, neste caso, com o objetivo de viabilizar a restituição de créditos tributários.

Ross faz referência a um explorador britânico que dá nome à maior plataforma de gelo do mundo localizada na Antártida fazendo alusão às notas fiscais frias que estão sob investigação.

A reportagem de do Jornal Mopntes Claros entrou em contato a assessoria do senador que informou que irá se posicionar em nota posteriormente. (Com Estadão Conteúdo)

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *