Vaga no Bolso

Turbo Pesquisa - CLIQUE AQUI PARA MIAS INFORMAÇÕES
Inicio » Colunistas » Hesiodo José » Coluna do Hesiodo José – Fragmentos Diários (aumento e também invento)

Coluna do Hesiodo José – Fragmentos Diários (aumento e também invento)

Coluna do Hesiodo José – Fragmentos Diários (aumento e também invento)

Estudante forja sequestro para não entregar TCC e se dá mal

A noticia vem de Montes Claros, cidade a 430 km de Belo Horizonte, terra de Walmir Birutinha, Toninho Boca Torta e Genilson Bronha. O pivô de todo o enredo é o estudante de Direito Caio Pinto, filho do comerciante Niqui Toba e da esteticista Lindaura Maria Xana de Jesus. O rapaz que está conhecido no Brasil inteiro, depois de ter seu caso mostrado em telejornal de domingo, se envolvera em outros afazeres da internet, se esquecendo do trabalho para a conclusão do curso, sempre adiando as revisões com certa quantia de dinheiro nas mãos corruptas dos mestres, quando chegou o dia, o esperto se obrigou a buscar outras rotas ainda mais sujas. Contratara; Gu Maria Rosa, Irineu Calixto, “Arataca” Leonildio Peres o “Finado” e Belinha Rosca Frouxa. Cada um receberia a importância de dois mil reais e os objetos que levassem da casa, no ato do seu sequestro. Tudo ainda tinha o diretor de Teatro Miguel Virose de Japonvá, para que nada fosse feito sem a devida encenação. Mas se esqueceram de avisar para Leonildio Finado, que não bebesse naquela hora. Mas ao fazer o restante da família refém e colocar a suposta vitima dentro do carro, tudo com a devida direção do Virose, Finado não se lembrou de fechar a porta do carro, o que fez com que na primeira esquina fosse lançado no meio do asfalto. A euforia para que nada desce errado, permitiu  que a mais tensa do grupo Belinha Rosca Frouxa, apenas batesse a porta de volta sem  perceber a falta do companheiro. Ao cair ele foi surpreendido por uma viatura que passava pelo local, confessando imediatamente o crime do acadêmico, de tentar comunicar falso sequestro. A família de Caio Pinto, que é de sobrenome tradicional, pede que os jornais não divulguem nada, além daquilo que o porta-voz da residência autorizar.

Perguntaram na Internet;

“Oi alguém sabe como contratar o pessoal do You Tube? Eu e minha noiva vamos nos casar e ela quer colocar na internet. (Pedro Pingola de Bode – Brasilia de Minas)

Riso da Hora

 O sujeito chegou naquela cidade e ficou sabendo que o José queria vender um burrinho. Achando o bichinho muito simpático, ele perguntou: – Qual é o nome dele? – Num sei, não… – Como não sabe? O bicho não é seu? E o caipira: – Só qui eu num sei qualé o nome dele… eu chamo ele de Zeca, sô.

Fica assim, amanhã tem mais…

 

Hesiodo José
Hesiodo José

Aviso

  • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *