NordVPN - A melhor oferta de VPN

Vaga no Bolso

Inicio » Últimas » MG – ‘Não é assim que se ama’, afirma juíza ao condenar homem por feminícidio

MG – ‘Não é assim que se ama’, afirma juíza ao condenar homem por feminícidio

MG – ‘Não é assim que se ama’, afirma juíza ao condenar homem por feminícidio

Governador Valadares – O representante comercial, Cristiano Gualberto da Silva, acusado de matar com 15 facadas a ex- mulher, em Raul Soares, Zona da Mata, em setembro de 2017, foi condenado pelo Tribunal do Júri, nesta segunda-feira (25) a 19 anos e 3 meses de reclusão, em regime fechado. O TJMG divulgou a setença nesta terça-feira (26).

MG - 'Não é assim que se ama', afirma juíza ao condenar homem por feminícidio
MG – ‘Não é assim que se ama’, afirma juíza ao condenar homem por feminícidio

 

De acordo com Ministério Público de Minas Gerais, a vítima, Larissa Caetano da Silva, que na época tinha 21 anos, possuía medida protetiva contra o ex-companheiro.

A juíza do caso, Marié Verceses da Silva Maia,entendeu que a situação ultrapassou aquela inerente ao feminicídio, diante do considerável número de facadas, que revela a extrema crueldade do acusado.

Reforçou que as circunstâncias também pesaram em desfavor do réu, uma vez que a vítima, na data do crime, já possuía em seu favor medidas protetivas deferidas e vigentes, porque o ex-companheiro já a havia agredido em outras ocasiões.

“Não é assim que se ama. Amar também é renúncia, é permitir que a pessoa amada siga seu rumo se a relação não mais lhe for conveniente.”  afirmou a juíza, em resposta à afirmação do réu de que amava a ex-companheira que ele assassinou.

Crime

O crime aconteceu na noite do dia 15 de setembro de 2017, na Avenida Governador Valadares, no Centro da cidade.

De acordo com os autos, o representante comercial, descontente com o fim do relacionamento, desferiu 15 facadas na vítima ao vê-la com outra pessoa. Conforme o laudo de necropsia, foram 11 golpes na costas.

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não ás pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *