Casa das Apostas Online Betway

Últimas Notícias

SAIBA MAIS AQUI - FAÇA CLICK

Inicio » Montes Claros » Montes Claros – Copasa em Montes Claros divulga nota para rebater áudio que circula nas redes sociais

Montes Claros – Copasa em Montes Claros divulga nota para rebater áudio que circula nas redes sociais

Montes Claros – Copasa em Montes Claros divulga nota para rebater áudio que circula nas redes sociais

Montes Claros – Depois que um áudio que circula por diversas redes sociais durante estes dias em Montes Claros, afirmando que a barragem que abastece Montes Claros não fica cheia, apesar das chuvas, por que existem desvios hídricos para uma empresa de reflorestamento na região de Juramento e que a mesma paga uma quantia a Companhia de Saneamento “por fora” para ter o uso da água dos principais afluentes do Rio Verde Grande (Rios Saracura e Juramento), a empresa mineira divulgou uma nota explicando que a afirmação é falsa.

Montes Claros - Copasa em Montes Claros divulga nota para rebater áudio que circula nas redes sociais
Montes Claros – Copasa em Montes Claros divulga nota para rebater áudio que circula nas redes sociais

 

Na nota, a Copasa explica que também depende dos rios afluentes para complementação da barragem do Rio Verde Grande.

Confira abaixo a nota na íntegra:

Nota de esclarecimento – Abastecimento em Montes Claros

A Copasa esclarece que são falsas as informações que continuam circulando nas redes sociais digitais sobre o sistema de produção de água em Montes Claros.

A Companhia informa que a barragem de Juramento registrou 37,24% do seu nível de capacidade de armazenamento nesta segunda-feira (17/02). Já o volume de chuvas registrado na área da barragem em fevereiro equivale a 14,7 milímetros.

Visando assegurar a disponibilidade de água para o abastecimento público em Montes Claros, apesar do período chuvoso, o rodízio adotado como medida preventiva em 17 de novembro de 2019 terá continuidade até a normalização das condições das fontes de produção de água.

Barragem de Juramento
Por ser um reservatório de acumulação, o volume de água na barragem depende da quantidade das chuvas e dos seus rios afluentes como Saracura, Juramento e Canoas.

Desta forma, a Copasa intensificou os investimentos em outras fontes de abastecimento, tais como a instalação de mais poços profundos, na captação sazonal do rio Verde Grande, em Montes Claros, e na implantação da captação do rio Pacuí, em Coração de Jesus, além de manter e aperfeiçoar a operação de fontes produtoras já existentes como a do Parque Estadual da Lapa Grande.

Além disso, visando eliminar a continuidade do racionamento na cidade, a Companhia iniciou os estudos para implantação, até 2021, da captação do rio São Francisco para ampliar a capacidade produtora de água do sistema que abastece Montes Claros.

A Copasa esclarece que a fiscalização e as providências quanto ao uso indevido por parte de terceiros dos recursos hídricos na bacia do rio Verde Grande, cabem aos órgãos ambientais.

A Companhia pede a colaboração em relação ao consumo consciente de água. Esse comportamento é fundamental em qualquer tipo de situação.

Aviso

  • • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)

2 comentários

  1. José Adalberto Cardoso

    Por qual motivo a Copasa não permite o livre acesso da imprensa para averiguar e fazer filmagens da barragem, assim a população ficará informada.

  2. José Adalberto Cardoso

    Por qual motivo a Copasa não permite o acesso da imprensa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *