Últimas Notícias

Quais as taxas de juros de financiamento de imóvel dos bancos?

Na hora de financiar o imóvel, é preciso estar atento aos juros cobrados em cada parcela. Entenda como funciona.

Para muitas pessoas, o financiamento de imóvel é a chance de realizar o sonho de uma casa ou apartamento próprio. Porém, é preciso entender que não é só o valor da parcela que será pago: os juros do financiamento serão embutidos mês a mês. Então, quanto custam os juros do financiamento em bancos? Como saber para não ser pego de surpresa?

Bradesco

O Bradesco utiliza dois tipos de crédito de financiamento de imóvel: por taxa referencial (TR) e poupança (Poupança+).

Taxa Referencial

Na linha TR, o banco financia, no máximo, R$5 milhões ou 80% do imóvel. Isso significa que se um indivíduo quiser um imóvel de R$1 milhão, o banco fará o financiamento de todo o valor? Não. Nesse caso, o valor máximo de financiamento será de R$800 mil. Já com relação aos juros, a linha trabalha a partir de 6,90% a.a. + TR.

Por fim, o comprometimento máximo da renda do comprador varia conforme o tipo de sistema de amortização: na tabela SAC, para quem deseja o financiamento com prestação decrescente, deve comprometer no máximo 30% da renda; já o da Price (financiamento convencional) deve comprometer apenas 15%.

Poupança+

Já na linha Poupança+, as condições são um pouco diferentes, pois em vez de seguir a taxa referencial, a prestação é corrigida de acordo com o índice mensal de remuneração básica da poupança, que corresponde a 70% da Selic. Em maio, a Selic aumentou para 3,5% ao ano, portanto 2,45% na poupança. Na hora de calcular, a taxa de juros será de 3,95% (fixo) + 2,45% (poupança) = 6,40%.

Banco do Brasil

O Banco do Brasil financia até 80% do valor do imóvel, que deve ser de R$ 1,5 milhão no Sistema Financeiro da Habitação (SFH) e sem limitação na Carteira Hipotecária (CH).

A taxa de juros mínima é de 6,39% ao ano + TR ou mínima de 3,45% ao ano + IPCA. O comprador pode comprometer até 30% de sua renda com o financiamento e pagá-lo em um prazo de 420 meses (35 anos).

Caixa Econômica

A taxa de juros da Caixa varia conforme o tipo de financiamento imobiliário escolhido pelo comprador.

Taxa referencial

Nesse tipo, o comprador pode comprometer 30% da renda e conseguir até 80% do valor do imóvel no financiamento, que não pode ultrapassar R$1,5 milhão. Os juros variam de 6,25% a 8,00% a.a. + TR. O prazo de pagamento pode ser de 360 (Tabela Price) a 420 meses (SAC).

Poupança

É uma modalidade parecida com a do Bradesco, em que os juros anuais ficam entre 3,35% (correntistas) e 3,99% (não correntistas). Portanto, a soma será de 3,35%/3,39% + 2,45% (variação da poupança). O valor máximo e os prazos de pagamento são os mesmos da TR.

IPCA

Nessa modalidade, as taxas variam entre 2,95% e 4,95% a.a. + IPCA. Diferentemente dos anteriores, os prazos de pagamento são menores: 240 meses na tabela Price e 360 meses no SAC.

Taxa fixa

Por fim, no sistema de taxa fixa, há apenas uma cobrança acrescida, que varia entre 8 a 9,75% a.a. Como os juros são mais altos, o comprometimento da renda precisa ser menor: até 20% no SAC e 15% da Tabela Price. O prazo de pagamento é o mesmo do IPCA.

Santander

No sistema do Santander, o valor do imóvel financiado varia caso o financiamento esteja dentro ou fora do âmbito SFH. Para operações dentro do SFH, o valor do imóvel deve variar entre R$90 mil e R$1,5 milhão. Já para as de fora do sistema, o imóvel deve custar menos de R$1,5 milhão.

Em ambos, a taxa varia de 6,99% a 10% a.a + TR (SAC), com prazo máximo de 420 meses para pagamento. O comprador pode comprometer até 35% de sua renda mensal.