Últimas Notícias

Mercado de Big Data deve chegar aos US$ 215 bilhões

Porto Alegre – RS 21/10/2021 – Quando você pensa tecnologia para um setor que é altamente saturado e competitivo, entende que é o momento de trazer oxigênio novo.

Startups de tecnologia utilizam a solução para impulsionar o crescimento dos negócios, como é o caso das proptechs

Trabalhar com dados deixou de ser algo do futuro e se tornou parte importante para empresas de diferentes setores. Por ser capaz de mapear e categorizar grande volume de dados, a tecnologia do big data, por exemplo, tem auxiliado as empresas na tomada de decisão. E mais que isso: traçar estratégias de mercado e mapear tendências específicas no seu ramo de atuação.  E não é de hoje que as soluções de big data, juntamente com business analytics, estão em alta: até o final deste ano, o mercado deve crescer 10,1%, movimentando mais de US$ 215 bilhões, conforme previsão do Worldwide Big Data and Analytics Spending Guide da International Data Corporation (IDC). 

Um dos setores que vem se beneficiando dessas soluções é o de proptechs — startups de tecnologia para o mercado imobiliário —, que cresceu 235% nos últimos cinco anos. Os dados são do Mapa de Construtechs e Proptechs 2021 desenvolvido pela Terracotta Ventures, empresa considerada referência para investimentos em negócios de tecnologia no setor de construção e mercado imobiliário. Além disso, diversas empresas têm visto no big data a solução para o impulsionamento dos negócios após sofrer as consequências da recessão causada pela pandemia.

De acordo com Gustavo Zanotto, CEO da startup Beemob, ferramentas que possibilitam o acesso a informações em big data, auxiliam e dão mais produtividade a imobiliárias, seus corretores associados e também para corretores autônomos. Zanotto destaca que é necessário oferecer ao mercado, além de produtos, mais serviços, ligados diretamente ao desenvolvimento de tecnologia: “Quando você pensa tecnologia para um setor que é altamente saturado e competitivo, entende que é o momento de trazer oxigênio novo, pois os profissionais e as empresas que nele estão inseridos precisam evoluir e permanecer no mercado. Quem manda hoje é o CPF, não é mais o CNPJ”, completa.

Atualmente, mais de 800 startups atuam no setor imobiliário, conforme informações levantadas pelos fundos de capital de risco ACE e Terracotta Ventures. Essas empresas promovem uma evolução digital em toda a cadeia imobiliária, iniciada a partir da demanda por investimentos nesse setor nos últimos anos.

Website: https://www.beemob.app/