Modelos trans fazem sucesso no país e no mundo

Lea T, Valentina Sampaio e Sam Porto são alguns dos nomes de modelos transgênero brasileiros que ganharam os holofotes e fazem sucesso dentro e fora do Brasil.

No mundo da moda, a primeira modelo transgênero a ganhar um papel de destaque em campanhas publicitárias foi Tracey “Africa” Norman, escolhida a dedo em 1971 para o elenco da Vogue Itália. De lá para cá, muitas outras profissionais estrelaram na indústria, dando visibilidade à população trans. Connie Fleming, Teri Toye e a brasileira Roberta Close são alguns exemplos.

A representatividade trans é, inclusive, um dos assuntos que mais aparecem nas rodas de conversa, desde o anúncio da participação da cantora e atriz Linn da Quebrada no Big Brother Brasil 22. Assim com ela, outras personalidades no meio artístico levantam a bandeira do respeito dentro e fora das telas de televisão e páginas de revistas.

Apesar de o país ter registrado 140 assassinatos à essas pessoas em 2021 – segundo dados da Associação Nacional de Travestis e Transexuais do Brasil (Antra) – profissionais trans que atuam no mundo da moda têm ganhado cada vez mais espaço em agências de modelo do Brasil, quebrando ciclos de preconceitos e revisitando a importância da presença dessa população na sociedade.

Lea T

Ganhando notoriedade na Europa após ser uma das estrelas da campanha da grife francesa Givenchy em 2010, a modelo brasileira de 41 anos Lea T é uma das mais bem sucedidas na indústria fashion e já foi capa da Marie Claire e das versões italianas da Vogue e da Glamour.

Além de atuar em passarelas e campanhas, Lea também é estilista e usa sua visibilidade no mundo da moda para falar sobre a representatividade trans e negra. Em 2015, foi eleita pela revista americana Forbes como uma das 12 mulheres que mudaram o universo fashion na Itália, ao lado de Miuccia Prada e Anna Dello Russo.

Valentina Sampaio 

A modelo Valentina Sampaio iniciou a carreira aos 18 anos, quando ainda cursava faculdade de moda no Ceará. Ela foi a primeira mulher trans a estrelar a capa das revistas Vogue Paris e Vogue Brasil. Valentina é também a primeira transexual a integrar o casting da badalada Victoria Secrets.

Além de trabalhar no mundo da moda, Valentina também é atriz, tendo participações na novela “O sétimo guardião” e no filme “Berenice procura”, no qual contracenou com Vera Holtz e Claudia Abreu.

Sam Porto

Aos 26 anos, Sam Porto carrega o título do primeiro homem trans a desfilar na São Paulo Fashion Week em 2019. Na ocasião, ele também conquistou o posto de recordista do evento por se apresentar na passarela de nove grifes. Em 2021, ele retornou a SPFW e repetiu a performance.

O modelo já posou para o fotógrafo Mario Testino, estrelou a capa digital da Vogue e a capa física da L’Officiel Hommes. Seu currículo conta com trabalhos para marcas como Ellus, Cavalera, Calvin Klein, Another Place e Hadred.

Gabrielle Gambine 

Gabrielle Gambine, de 23 anos, faz sucesso nas campanhas publicitárias e editoriais de moda. A carreira da modelo, sobrinha de Roberta Close, começou aos 18 anos por incentivo de amigos e desde então não parou mais.

MAC, Avon, Havaianas, Vogue e Glamour são algumas das corporações que Gabrielle tem em seu currículo. Além de modelo, ela é atriz e estreou na televisão em “Verdades Secretas 2”, interpretando uma das modelos da Blanche Models.

Cecília Gama 

Cecília Gama ganhou visibilidade no universo da moda após vencer a primeira temporada de “Born To Fashion”, primeiro reality show brasileiro para revelar modelos trans.

Desde que conquistou o título, a estudante de psicologia já participou de campanhas para marcas de moda e beleza, sendo também capa da versão digital da Harper’s Bazaar Brasil.