Últimas Notícias
Como funciona um "pregão" da Bolsa de Valores?

Como funciona um “pregão” da Bolsa de Valores?

A bolsa de valores é um ambiente místico no universo dos investimentos, sendo o lar das principais operações financeiras do mercado de capitais. Assim, este ecossistema possui estratégias bem definidas para esboçar de forma dinâmica das negociações de mercado acontecerem com segurança e eficiência e ditam os rumos dos pregões diários nas principais bolsas de valores ao redor do globo. Mas como funciona e quais são as etapas que definem um pregão?

Como surgiu a bolsa de valores?

Existe muito misticismo sobre o surgimento da bolsa de valores. O livro “A Random Walk Down Wall Street” de Burton G. Malkiel, define uma interessante explicação para o surgimento do que conhecemos hoje como a bolsa.

A história remonta ao século XVI, na Bélgica e começa com uma família de comerciantes ricos chamada Van der Beurze. Eles hospedavam em sua casa, localizada na cidade de Bruges, encontros de comerciantes para a realização de negócios e trocas. Com o tempo, essa casa se tornou um centro importante de comércio e as reuniões se tornaram mais regulares.

A casa da família Van der Beurze ficou conhecida como a casa onde se realizavam essas transações comerciais e, com o tempo, o termo “beurze” foi adotado para se referir a esse tipo de local de negociação. Isso acabou evoluindo para a palavra “bourse” em francês, que os ingleses adaptaram para “exchange”, enquanto no português ficou conhecido como “bolsa”.

A partir daí, começaram a surgir “bolsas” em outras cidades europeias, como a Bolsa de Valores de Londres e a Bolsa de Valores de Paris. Hoje em dia, o termo “bolsa de valores” é usado para se referir a um mercado organizado onde se negociam ações de empresas e outros tipos de investimentos.

O pregão da bolsa

A palavra “pregão” vem do verbo “pregar”, que, em sua definição mais antiga, significava “anunciar em voz alta”. Originalmente, o termo foi usado para descrever o ato de anunciar ou leiloar algo em público.

Nos primeiros dias das bolsas de valores, as transações eram feitas fisicamente em um local específico (a bolsa de valores), onde corretores de ações gritavam (ou “pregavam”) suas ordens de compra e venda. Esse tipo de atividade era barulhento e caótico, mas era a maneira mais eficiente de fazer transações na época.

Com o tempo, as bolsas de valores se modernizaram e a maioria das transações agora é feita eletronicamente. No entanto, o termo “pregão” permaneceu e ainda é usado para se referir ao período de tempo durante o qual as transações são permitidas na bolsa de valores.

Portanto, mesmo que o método de transação tenha mudado, o nome “pregão” permaneceu, referindo-se agora principalmente ao horário de negociação. No pregão da bolsa, investidores apresentam propostas de compra e venda de ações de companhias registradas na B3, a bolsa brasileira.

A finalidade deste pregão é estipular um valor justo para as ações, considerando as propostas de compra e venda oferecidas pelos agentes de mercado.

É importante ressaltar que a cotação das ações é definida pelo equilíbrio entre oferta e demanda. A negociação ocorre em tempo real, possibilitando aos investidores o monitoramento das flutuações de mercado.

O pregão da bolsa de valores desempenha um papel crucial no mercado financeiro. Ele permite a formação de preços justos e transparentes, além de oferecer liquidez aos investidores. É por meio do pregão que ocorre a descoberta do preço dos ativos e, consequentemente, a valorização ou desvalorização dos mesmos.

Participando de um pregão

Para participar do pregão da bolsa de valores, é necessário ter uma conta em uma corretora de valores. A corretora será responsável por intermediar as negociações entre o investidor e a bolsa. É importante escolher uma corretora confiável e que ofereça as ferramentas e suporte adequados para operar no pregão.

Os corretores desempenham um papel fundamental no pregão da bolsa de valores. Eles são os profissionais responsáveis por executar as ordens dos investidores e garantir a eficiência das negociações. Além disso, os corretores oferecem suporte e orientação aos investidores, auxiliando na tomada de decisões.

As etapas de um pregão

Durante o pregão, as negociações ocorrem em etapas bem definidas. Primeiro, as ordens de compra e venda são casadas por preço e quantidade, resultando na formação do preço de equilíbrio. Em seguida, os negócios são executados, ou seja, as transações são efetuadas entre os investidores. Essas etapas ocorrem de forma contínua ao longo do pregão.

Ordem

O processo começa quando você (um investidor) envia uma ordem de compra ou venda para a sua corretora. Essa ordem contém informações como o tipo de ação que você deseja comprar ou vender, a quantidade e o preço que você está disposto a pagar ou receber.

No pregão da bolsa de valores, os investidores podem enviar diferentes tipos de ordens. As principais são:

  • Ordem a mercado: quando o investidor quer comprar ou vender um ativo pelo melhor preço disponível no momento.
  • Ordem limitada: quando o investidor estabelece um limite de preço para a compra ou venda de um ativo.
  • Ordem stop: quando o investidor determina um preço de disparo para a compra ou venda de um ativo.

Esses são apenas alguns exemplos, existem outros tipos de ordens que podem ser utilizados de acordo com a estratégia de cada investidor.

Encaminhamento

A corretora então encaminha essa ordem para a bolsa de valores.

Correspondência de ordens

Na bolsa de valores, um sistema eletrônico procura por ordens correspondentes. Ou seja, se você enviou uma ordem de compra, o sistema procura uma ordem de venda correspondente, e vice-versa. A correspondência é feita com base no preço e na quantidade de ações. Geralmente, a prioridade é dada à ordem que foi enviada primeiro.

Execução da ordem

Quando uma correspondência é encontrada, a ordem é executada, ou seja, a transação é realizada. O comprador paga pelo valor das ações e o vendedor entrega as ações.

Confirmação

Após a execução da ordem, a corretora confirma a transação com o investidor. Isso geralmente acontece através de uma nota de corretagem, que contém detalhes sobre a transação.

Os pregões geralmente ocorrem em dias úteis e em horários específicos. Por exemplo, na B3, a bolsa de valores do Brasil, o pregão regular de ações ocorre das 10:00 às 17:00.

Leilões de pré-abertura e pré-fechamento

Os leilões de pré-abertura e pré-fechamento são momentos importantes no pregão da bolsa de valores. No leilão de pré-abertura, os investidores podem enviar suas ordens e os preços de abertura são definidos. Já no leilão de pré-fechamento, ocorre a formação do preço de fechamento e os investidores têm a oportunidade de ajustar suas posições antes do encerramento das negociações.

O que influencia um pregão?

Diversos fatores podem influenciar o pregão da bolsa de valores. Notícias econômicas, resultados de empresas, indicadores macroeconômicos e eventos geopolíticos são apenas alguns exemplos. Os investidores devem estar atentos a esses fatores, pois podem impactar significativamente os preços dos ativos e gerar oportunidades de lucro ou risco. No entanto, é importante destacar que o pregão da bolsa de valores envolve riscos e volatilidade. Os preços dos ativos podem flutuar rapidamente devido a diversos fatores, o que pode resultar em perdas ou ganhos significativos para os investidores. É importante ter uma estratégia de investimento bem definida e estar preparado para lidar com os riscos inerentes ao mercado financeiro.

Autor: Leonardo Pereira, economista e colaborador do Guia do Investidor.

Leonardo Bruno | LinkedIn