Últimas Notícias

Montes Claros – Municípios do semiárido vão receber capacitação do Programa Água Doce

Montes Claros – Municípios do semiárido vão receber capacitação do Programa Água Doce

Montes Claros - Municípios do semiárido vão receber capacitação do Programa Água Doce
Montes Claros – Municípios do semiárido vão receber capacitação do Programa Água Doce

O Governo de Minas Gerais, em parceria com o Governo Federal, promove, em Montes Claros, nos dias 28, 29 e 30 de abril, a Oficina de Capacitação do Programa Água Doce (PAD). O evento vai reunir os prefeitos dos 85 municípios do semiárido mineiro, além de secretários municipais, técnicos e consultores em saneamento e representantes das comunidades que vão acompanhar a execução do programa.

O PAD é uma ação do Ministério do Meio Ambiente, por meio da Coordenação Nacional do Programa Água Doce (PAD), e em Minas Gerais é executado pela secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Política Urbana e Gestão Metropolitana (Sedru), Instituto de Gestão das Águas (Igam) e Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa).

.

O programa promove o acesso à água de boa qualidade para consumo humano, por meio da dessalinização de águas subterrâneas, incorporando cuidados ambientais, técnicos e sociais. Em Minas Gerais, serão instalados dessalinizadores em 69 localidades rurais do semiárido, que sofrem com elevados déficits hídricos, e cada sistema de tratamento terá capacidade para atender, em média, 400 pessoas. De modo simplificado, o sistema purifica a água salobra, coletada por meio de poços, e a disponibiliza em chafarizes.

A oficina vai capacitar as equipes que vão realizar os diagnósticos socioambientais e técnicos nos municípios, fundamental para qualificar as localidades e apontar qual a solução ideal de abastecimento para cada uma delas, seja a recuperação ou implantação dos sistemas dessalinizadores, ou ainda, com outro programa de acesso à água.

O secretário de Estado de Desenvolvimento Regional, Política Urbana e Gestão Metropolitana, Tadeu Martins Leite, destaca a importância da participação das prefeituras nesse processo. “Os municípios serão nossos grandes parceiros na identificação das comunidades que atendam aos critérios do PAD, como a existência de poço artesiano, de energia elétrica e geologia adequada, que passarão pela análise preliminar dos técnicos e testes de viabilidade posteriores”, explica.