Últimas Notícias

Montes Claros – Sindicato convoca nova assembleia para discutir propostas da prefeitura para os médicos especialistas em Montes Claros

Montes Claros – Sindicato convoca nova assembleia para discutir propostas da prefeitura para os médicos especialistas em Montes Claros

O Sindicato dos Médicos de Montes Claros e Norte de Minas (Sindmed) recebeu, no fim da tarde da última sexta-feira (16/09/2016), carta de intenções da Secretaria de Saúde de Montes Claros com propostas às demandas apresentadas pelos médicos especialistas que atendem nas policlínicas do município (entre elas, Alpheu de Quadros, Ariosto e Alto São João).

Montes Claros - Sindicato convoca nova assembleia para discutir propostas da prefeitura para os médicos especialistas em Montes Claros
Montes Claros – Sindicato convoca nova assembleia para discutir propostas da prefeitura para os médicos especialistas em Montes Claros

Os profissionais, que seguem em greve – que teve início na última quinta-feira (15/09/2016) – vão agora deliberar em nova assembleia, no dia 21, sobre às propostas apresentadas pela secretaria.

A paralisação, que envolve mais de 90 profissionais, visa solucionar as várias reivindicações dos médicos especialistas, entre elas a defasagem salarial, falta de estrutura ideal para trabalho em algumas clínicas, necessidade de reestruturação da carga horária de trabalho e realização de concurso público.

Movimento

Há quase um ano que os profissionais buscam solucionar estes e outros entraves do serviço público municipal, com várias tentativas de negociação da classe, através do Sindicato.

Em março deste ano, os profissionais fizeram paralisação de um dia, como advertência, com manifestação em frente à prefeitura. No mesmo dia, o presidente do Sindmed, o médico Carlos Eduardo Pereira Queiroz, foi recebido pelo Ministério Público, que solicitou ao sindicato que repassasse as demandas e reivindicações da classe. Desta data até o início do mês de setembro, o Sindmed tentou novas conversas, mas, nenhum acordo formal foi instituído para atender as reivindicações dos profissionais.

O movimento de greve respeita a manutenção mínima dos serviços essenciais durante o período de greve, no percentual de 30% do total de funcionários, para que não haja prejuízo à população, especialmente nos casos de urgência e emergência.

Por Ricardo Guimarães