Últimas Notícias

Nova espécie de Phyllanthus em homenagem a Min. Cármen Lúcia Antunes Rocha

Nova espécie de Phyllanthus em homenagem a Min. Cármen Lúcia Antunes Rocha

Nova espécie de Phyllanthus em homenagem a Min. Cármen Lúcia Antunes Rocha
Nova espécie de Phyllanthus em homenagem a Min. Cármen Lúcia Antunes Rocha

 

Nesta sexta-feira (21/04/2017) foi publicado, pela revista científica neozelandesa Phytotaxa, o artigo intitulado “Phyllanthus carmenluciae, a supreme species of Phyllanthus (Phyllantaceae) from Brazil”.

Esta importante descoberta é uma homenagem, da primeira autora, a Ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha (STF) por seu exemplo de mulher, acadêmica e jurista, destacando-se por sua visão humana e progressista do direito voltada para questões para a promoção da equidade de direitos entre mulheres e homens e o cuidado com crianças e jovens do nosso país.

A pesquisa que culminou com a descoberta desta nova espécie de Phyllanthus para o Brasil foi iniciada pela doutoranda Rayane de Tasso Moreira Ribeiro em dezembro/2015 com o desenvolvimento do estudo de Phyllanthaceae para a Flora do Ceará sob orientação da Profa. Dra. Maria Iracema Bezerra Loiola do Laboratório de Sistemática e Ecologia Vegetal-LASEV/ Departamento de Biologia – UFC.

O artigo recém publicado sobre Phyllanthus carmenluciae evidencia que a espécie é bem distinta das demais espécies de Phyllanthus e por isso designada como “suprema”, além de ser uma alusão ao STF, órgão presidido pela ministra homenageada, Cármen Lúcia Antunes Rocha.

Phyllanthus carmeluciae caracteriza-se pelos ramos cilíndricos pubescentes, ápice foliar mucronado, inflorescências em címulas bissexuais com duas flores estaminadas proximais e duas flores pistiladas distais e anteras sagitadas com rimas verticais.

A espécie foi registrada, até o momento, apenas na Serra de Baturité a >700 m de altitude, em mata úmida (floresta ombrófila densa).

Para mais detalhes da pesquisa, segue o link do artigo: http://biotaxa.org/Phytotaxa/article/view/phytotaxa.305.1.5. doi:http://dx.doi.org/10.11646/phytotaxa.305.1.5.