Últimas Notícias

Coluna do Hesiodo José – Fragmentos Diários (aumento e também invento)

Coluna do Hesiodo José – Fragmentos Diários (aumento e também invento)

Inutilidades Públicas

Em porteirinha no Norte de  Minas gerais, um caso curioso que provavelmente  logo será assunto de Cordel. Ariosto F. Santos pai de três filhos e uma filha, passara os últimos dois anos em São Paulo e ao termino das atividades voltou para casa com idéias que a mulher considerou estranhas. O homem disse que convivendo com o povo da capital descobriu que o mundo se acabaria no final de 2017 e que ela precisava autorizá-lo a arranjar outra mulher, ainda segundo ele para ela, somente as pessoas fazendo suas vontades diante de Deus podem salvar o mundo. Ela que não tivera o nome revelado, mas é chamada de “Senhorinha” disse, pois não, perfeitamente, mas quero comunicá-lo que a vontade da em mim também, me dê seu papel que assino autorizando, mas aqui está o meu necessitando da sua assinatura. Ariosto corou, coçando a cabeça e resmungou  que estava tentando salvar o planeta, mas já que ela estava usando de ignorância, que se lasque. “Por mim que o mundo se acabe!” Concluiu o moço. Senhoria levantou o braço e bateu firme “Aqui procê seu safado, arranja suas negas que eu empuleiro com os meus negos!”. 

Em Bocaiuva, tudo pode acontecer. Disso todo mundo já sabe. A treta da vez agora envolveu um casal, um cachorro e uma arma; Os vizinhos do casal acreditam que foi de fato apenas um acidente

“Alô, polícia? Minha namorada acabou de ser baleada por meu cachorro.” Foi mais ou menos assim que um homem reagiu na noite da última terça-feira quando viu uma luz forte, um barulho e um grito de dor dentro do seu quarto, em Bocaiuva – Norte de Minas. Segundo a polícia local, um homem dormia com sua namorada quando foram acordados pelo cachorro que também vive na casa. O sujeito contou aos policiais que levantou, levou o cão para fora, mas, quando voltou para o quarto, o animal veio com ele. Foi aí que ele viu o clarão e ouviu o estampido. Beto Cabeça  acredita que o cachorro subiu na mesa de cabeceira onde fica exposta uma garrucha artesanal carregada para alguma eventualidade. Pela versão do sujeito, a arma acabou, de algum modo, disparando sozinha.

Relatório da polícia apresenta versão do caso

A mulher, que estava dormindo no momento do incidente, acabou sendo baleada na perna e levada a um hospital de Montes Claros  sem correr risco de morte. Ela contou à polícia que não faz ideia de como tudo aconteceu e que só acordou por causa da dor forte que sentia no local do ferimento. O homem, dono da arma e do  cachorro, tem um filho, que não estava em casa no momento do tiro. A polícia abriu investigação e vai analisar a pistola para saber, por exemplo, se realmente é possível que o cachorro tenha disparado a arma sem querer. Ele foi preso por porte ilegal de arma e de substancia entorpecente (maconha).

Riso da Hora

Fica assim, amanhã tem mais…

Hesiodo José
Hesiodo José