Inicio » Nacional » Pastores criam previdência privada para os evangélicos

Pastores criam previdência privada para os evangélicos

Pastores criam previdência privada para os evangélicos

“Evangélicos são fiéis aos seus comandos. Não possuem vícios que os obrigam a consumir supérfluos como cigarros, bebidas e drogas. Esforçam-se para manter seus nomes em situação confortável nos cadastrados financeiros.” Ah, sim: e já são 30% do país, o que dá mais de 60 milhões de brasileiros. Não dá para ignorar um mercado fiel com esse. O trocadilho é por conta da casa – nesse caso, o Instituto Brasileiro Evangélico de Memória Pastoral (Ibemp), criado por Lemim Lemos, 74, para gerir o BemPrev, um fundo de pensão voltado a cristãos.

Secretário Marcelo Caetano defende mudança de regras
Secretário Marcelo Caetano defende mudança de regras

 

Pastor da Igreja Batista, ele anunciou seu plano a outros líderes religiosos no Rio, na última segunda. “Nossa intenção é virar o maior fundo de previdência privada do Brasil”. Ouve-se um “amém!” na sala. Vice-presidente do Ibemp, o pastor Flávio Lima, 72, diz que “a previsão no primeiro semestre é alcançar 150 mil afiliados. A ideia é, em dois anos, termos mais de um milhão”.

Hoje, são 13 milhões de brasileiros com alguma previdência complementar, segundo a Federação Nacional de Previdência Privada e Vida. O BemPrev é um sonho antigo – e já naufragou duas vezes. A primeira nos anos 1950 e a mais recente em 2013 – a postergação se deveu a “dificuldades de natureza técnica”, segundo Lemos.

Católicos na mira. O projeto atual está com a Superintendência de Seguros Privados (Susep), que gere previdências abertas a qualquer pessoa física ou jurídica. “Qualquer um mesmo”, frisa o pastor. Até a Igreja Católica está listada como potencial cliente no Ibemp, entre gigantes evangélicos como Universal e Deus É Amor. Ele diz que o presidente de uma associação espírita lhe sondou para saber se sua religião era bem-vinda. Respondeu que sim. A contribuição mensal mínima será de R$ 50, com “taxas de administração mais competitivas” do que as cobradas no meio, diz Gabriel Escabin, da Globus Seguros. A corretora comercializará os produtos previdenciários do Ibemp, que serão geridos pela Mapfre e outras seguradoras.

O Ibemp cobrará do beneficiário ainda R$ 25 por mês, por um “cartão de vantagens” que dará descontos em redes varejistas. Entre as parcerias já fechadas, estão farmácias e uma ótica em Vitória (ES).

Governo espera aprovar em agosto

SÃO PAULO. O secretário da Previdência Social do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, voltou a afirmar que o Congresso é soberano na tramitação da reforma, tanto no tempo quanto no conteúdo. O secretário afirmou ainda que o governo trabalha com a aprovação da reforma como um todo em agosto.

Ele reforçou o discurso do governo de que a reforma que visa a alterar as regras da aposentadoria é essencial para melhorar a economia brasileira. Em um debate ao vivo na página do jornal Diário de Pernambuco, Caetano afirmou que a reforma, se aprovada, terá impacto imediato na vida das pessoas, além de dar mais sustentabilidade às aposentadorias no futuro. “O próprio presidente do Banco Central tem dito que a queda da taxa de juros é afetada pela reforma da Previdência, aí que vem o efeito na vida das pessoas não só da Previdência, mas de um conjunto de reformas”, destacou.


Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaços abaixo são destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail valido).