Inicio » Mais Seções » Curiosidades » Americana sofre com rara doença que a deixa excitada constantemente

Americana sofre com rara doença que a deixa excitada constantemente

Americana sofre com rara doença que a deixa excitada constantemente

A norte-americana Amanda McLaughlin, de 23 anos, foi diagnosticada com uma doença incomum: Transtorno de Excitação Sexual Persistente. A disfunção faz com que a jovem se sinta excitada com uma alta frequência.

Disfunção de Amanda não tem tratamento médico específico
Disfunção de Amanda não tem tratamento médico específico

 

Amanda começou a sofrer com o problema aos 13 anos de idade, mas só foi diagnosticada clinicamente aos 19. A doença causa fortes dores na região genital e nas pernas, além de estresse e distúrbios psicológicos.

Em entrevista à BBC, a mãe da jovem disse que a família não acreditava na doença. “Todos simplesmente pensaram que ela era uma depravada sexual. Eu duvidei completamente dela – e ainda me sinto culpada”, afirmou Victoria McLaughlin.

A ajuda do marido é um dos principais fatores no tratamento do problema, segundo Amanda. “Ele nunca me julgou uma única vez, ele nunca me fez sentir mal a respeito do trabalho. Foi amor à primeira vista”, disse a jovem.

Ela ainda afirmou que precisa pedir ao parceiro para fazer sexo todos os dias e aliviar um poucos dos sintomas na região genital. “Você deve pensar que você poderia transar e tudo apenas iria sumir, mas não é assim. Não é divertido estar excitada todo o tempo. Parece que você está prestes a ter um orgasmo e depois a sensação não passa”, detalhou.

A doença ainda não tem uma tratamento definido, mas a doutora Priyanka Gupta, da Universidade de Michigan está analisando o caso de Amanda. “Não há uma cura imediata, mas desenvolvemos uma série de tratamentos que ajudam a aliviar os sintomas”, ela explicou.

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaços abaixo são destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail valido).