Inicio » Montes Claros » Montes Claros Vôlei perde para o Taubaté

Montes Claros Vôlei perde para o Taubaté

Montes Claros Vôlei perde para o Taubaté

Jogando em casa, na tarde deste domingo, o MONTES CLAROS VÔLEI recebeu o EMS/Taubaté/Funvic em jogo válido pela sétima rodada do turno da Superliga Masculina de Vôlei.

Montes Claros Vôlei perde para o Taubaté
Montes Claros Vôlei perde para o Taubaté

 

A partida foi no “Caldeirão” do Tancredo Neves e contou com um público de 1.028 torcedores que prestigiaram e apoiaram a equipe norte-mineira, sob o comando do técnico interino Sérgio Luís Cunha.

O jogo durou 2h23min e só foi vencido no tie-break pelos paulistas. Ao final, as parciais foram 21/25, 23/25, 25/23, 25/17 e 06/15.

MOC VÔLEI entrou em quadra com os atletas Sandro, Mesa, Alemão, Tarcísio, Najari, Zanotti e o líbero Wanderson. Já o Taubaté, começou a partida com Raphael Vieira, Wallace, Dante, Ivovic, Rafael Martins, Solé e o líbero Thales.

Na promoção da escola pública que mais levasse alunos ao ginásio, a vencedora foi Escola Estadual Benício Prates, da cidade vizinha de Coração de Jesus, distante 74 Km. A entrega do kit esportivo (1 rede e 3 bolas), além da visita dos jogadores à escola será feita no dia 25.11, no jogo contra o Sada/Cruzeiro, às 15h, com transmissão ao vivo do Canal SporTV.

O jogo

O primeiro set começou bem equilibrado, com as duas equipes bem pareadas no placar 1/1, 2/2 até o capitão e levantador Sandro Carvalho, do MOC VÔLEI fazer um bloqueio e abrir a diferença em 04/2.

O Taubaté empatou em 5/5, mas o saque tático do levantador Sandro fez o Pequi Atômico passar a frente outra vez em 7/5. Táubaté encostou de novo, depois de dois erros dos donos da casa e passou a frente com um ponto de saque direito, abrindo 7/8.

O placar continuou colado até dois erros de ataque dos norte-mineiros colocar Taubaté na frente em 10/13 e ser necessário um tempo técnico para tentar equilibrar a partida.

O jogo continuou favorável para os visitantes que abriram a diferença em três, quatro, cinco, seis pontos em 13/19 e novo pedido técnico em quadra para tentar buscar a diferença.

A diferença caiu para quatro pontos em 17/21, e depois 3 pontos 20/23. Tempo solicitado desta vez pelo técnico do Taubaté, Daniel Castellani para colocar a casa em ordem e fechar o set em 21/25 em 22 minutos.

À volta para o segundo set, despertou no MOC VÔLEI uma reação e a equipe abriu 4/1, com dois pontos seguidos de bloqueio do central Tarcísio. Erro na recepção do Taubaté, e o Tarcísio faz outro ponto na bola que voltou direto na rede e ele não perdoou. O técnico Castellani foi obrigado a pedir tempo para buscar uma reação em 6/2.

Porém, Alemão com um ace ampliou a diferença em 7/3, mas a troca de bolas favoreceu os donos da casa que continuaram a frente do placar em 8/4, 9/5. A diferença foi caindo com pontos de bloqueio e saque, chegando a 10/9 e 10/10 e pedido de tempo pelo técnico Sérgio Cunha.

Os visitantes voltaram a impor o ritmo forte no saque e quebraram a recepção e passe dos donos da casa, passando a frente no placar e abrindo em 11/14. E quando o placar apresentava 12/18, novo pedido técnico para o MOC VÔLEI tentar alguma reação.

Mas o placar continuou favorável para os paulistas que mantiveram a diferença em 5 pontos, 16/21. Um lindo rally marcou o set, com o ponto favorável para o Pequi Atômico que ainda fez um bloqueio com o central Mesa e encostou em 18/21, com tempo solicitado pelo Catellani para armar uma jogada. Com uma boa sequência no bloco, os donos da casa encostaram em 20/21. Com dois erros seguidos dos norte-mineiros e um bom saque, o Taubaté voltou a abrir e fechou em 23/25 em pouco mais de 30 minutos.

O terceiro set começou bem equilibrado com as equipes disputando cada ponto. O MOC VÔLEI abriu diferença em 08/06 e a manteve, apesar da pressão dos adversários em 13/10. Porém, a intensidade do saque de Taubaté fez a diferença cair para 17/16, obrigando o técnico a pedir tempo quando o placar apresentava 17/17.

O placar voltou a ficar favorável para os mandantes em 21/20 e Castellani pediu tempo técnico. Depois de um rally bem disputado, MOC VÔLEI abriu em 23/21 com o apoio da torcida que cantava “vamos virar moquêêê”, mas que no erro de ataque, deixa os adversários encostarem em 23/23. Pedido de tempo por parte do técnico Sérgio Cunha para ajustar a recepção e a jogada de ataque e com o central Mesa, o Pequi Atômico devolve o placar do segundo set em 25/23 e fecha em 28 minutos de duração.

O quarto set era tudo ou nada para o MOC VÔLEI que precisava ganhar e levar para o set desempate. O jogo começou bem igual, com as duas equipes revezando no placar. Mas depois de um erro na recepção e de um contra-ataque, o Pequi Atômico abriu dois pontos 07/05. E com novo bloqueio dos mineiros, o técnico Daniel Castellani parou o jogo em 8/5. Outro bloqueio do central Mesa e MOC VÔLEI ampliou em 9/5.

O Taubaté virou a partida em 11/12, depois de cartão vermelho por reclamação por parte do time norte-mineiro. Mesmo com as polêmicas da arbitragem, as duas equipes continuaram iguais no placar em 12/12, 13/13, até um bloqueio do central Tarcísio e o MOC VÔLEI abrir em 15/13.

Erro de recepção do Taubaté e os mineiros abriram em 17/14. Tempo técnico na quadra pedido pelo Daniel Castellani, mesmo assim, na volta da parada, o MOC VÔLEI voltou a quebrar a recepção dos paulistas com um saque viagem e novo bloqueio do central Mesa e a diferença aumentou em 21/15 numa boa sequência do levantador Sandro e belos rallys em quadra.

Com a entrada do levantador reserva Cristiano, que quebrou a recepção do Taubaté com um saque balanceado, o MOC VÔLEI fechou o set em 25/17 em 26 minutos, levando a decisão para set desempate.

Taubaté começou o quinto set impondo seu ritmo e abriu 0/2. MOC VÔLEI reagiu e encostou em 1/3, mas com erros de ataque, os visitantes abriram em 1/5, e um tempo foi solicitado pelo técnico Sérgio Cunha.

O time de Minas não conseguiu assimilar o que foi pedido pelo técnico e depois de constantes erros de recepção, ataque, saque e contra-ataques, os visitantes fecharam o set em 06/15 em 13 minutos e a partida em 3 sets a 2. O atleta Marko Ivovic, da Sérvia, foi eleito o melhor em quadra e levou o troféu VivaVôlei Cimed.

O próximo jogo do MONTES CLAROS VÔLEI é sábado (25.11), pela oitava rodada da Superliga, quando a equipe recebe o Sada/Cruzeiro, às 15h com transmissão ao vivo pelo Canal SporTV.

Aviso: nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto, e esperamos que as conversas nos comentários sejam respeitosas e construtivas. O espaços abaixo são destinado para discussões, para debatermos o tema e criticar ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão, de maneira nenhuma, tolerados, e nos damos o direito de excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, calunioso, preconceituoso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem um nome completo e e-mail valido).