OI TOTAL COM FIBRA

Projetos da Anater chegam a 21 unidades da Federação | Jornal Montes Claros
Inicio » Economia » Projetos da Anater chegam a 21 unidades da Federação

Projetos da Anater chegam a 21 unidades da Federação

Projetos da Anater chegam a 21 unidades da Federação

A meta para o período de 2018 a 2020 é prestar assistência a cerca de 120 mil famílias de agricultores de todas as regiões do país, com investimento de mais de R$ 700 milhões 

Projetos da Anater chegam a 21 unidades da Federação
Projetos da Anater chegam a 21 unidades da Federação

 

Neste ano, a Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) vai intensificar as ações voltadas para a agricultura familiar, com ampliação dos projetos até 2020.

A agência está operacionalizando os projetos Piloto e D. Helder Câmara, iniciados em 2017, beneficiando 70.500 famílias, e a meta para o período de 2018 a 2020 é prestar assistência a cerca de 120 mil famílias de agricultores e realizar cursos de formação para 5.300 extensionistas. Para viabilizar os projetos o investimento é de mais de R$ 700 milhões.

O presidente Valmisoney Moreira Jardim, destaca que a Anater já está em 21 estados levando assistência técnica e extensão rural (Ater) para os agricultores familiares. “Ver a Anater nesse nível denota a importância do trabalho árduo que tivemos durante o ano de 2017 para construir todo o ferramental para que ela conseguisse operacionalizar seus projetos”, avalia.

De acordo com o presidente, os primeiros experimentos da Anater decolaram do ano passado para cá. Foram 10.500 agricultores familiares assistidos e 1000 extensionistas formados. O foco agora vai até 2020, quando os desafios serão bem maiores. “Queremos chegar a todas as unidades da Federação, e se depender da Anater o cenário da Agricultura Familiar no Brasil vai mudar, e para melhor. Isso porque, comprovadamente, inclusive através de pesquisa, os agricultores familiares que recebem assistência técnica pontual e qualificada conseguem melhorar sua produção e renda em até quatro vezes”, argumenta.

Somente com o projeto D. Helder Câmara, as ações da Anater irão beneficiar 60 mil famílias de nove estados do semiárido nordestino, norte do Espírito Santo e Minas Gerais, notadamente na região de abrangência da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

A agência também irá prestar assistência técnica para sete mil famílias que formam comunidades tradicionais, como indígenas e quilombolas, e, ainda, 20 mil famílias que queiram se dedicar à agroecologia, produção que envolve componentes socioculturais, econômicos, técnicos e ecológicos específicos.

Para 2018, a meta da Anater é qualificar 5000 extensionistas de todo o país, além de 300 gestores de Ater, que darão suporte, assessoria e orientação para esses técnicos. Cada família beneficiada terá ampla assistência e até consultoria desses extensionistas, com temas como elaboração de projetos técnicos, como se preparar para o mercado, disponibilidade de linhas de crédito, entre outros.

PARCERIA

Para dar conta de tudo isso, a Anater aposta na parceria público-privada, que ficará com 40% das ações de cada projeto. As entidades privadas interessadas em participar das chamadas públicas da Anater devem se inscrever no portal da agência (www.anater.org), na aba ‘Credenciamento’, onde também constam todas as informações sobre o processo de credenciamento. As chamadas públicas seguem as diretrizes da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), sendo financiadas pela mesma, e estão em consonância com a Política Nacional de Ater (Pnater).

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.O espaço de comentários em nossos artigos é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *