FENICS 2019 - ACI

Inicio » Economia » Projetos da Anater beneficiam agricultores de Alagoas

Projetos da Anater beneficiam agricultores de Alagoas

Projetos da Anater beneficiam agricultores de Alagoas

Além das ações do programa D. Helder Câmara, que leva assistência técnica a agricultores familiares no Semiárido, o estado alagoano vai integrar o programa Mais Gestão, para qualificação da gestão dos empreendimentos da agricultura familiar. 

Reunião Anater e Emater - AL - Foto:Jerusia Arruda
Reunião Anater e Emater – AL – Foto:Jerusia Arruda

 

A Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) está finalizando o planejamento para o lançamento das chamadas públicas para o Mais Gestão, um programa de atendimento gerencial voltado para qualificação da gestão dos empreendimentos da Agricultura Familiar, com foco no mercado.

O projeto será realizado através de 1.032 empreendimentos de todo o território nacional, sendo 60% públicos e 40% privados, com investimentos de cerca de R$184 milhões, recursos do Governo Federal repassados à Anater através da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead).

O presidente Valmisoney Moreira Jardim explica que neste período que antecede o lançamento das chamadas públicas, a Anater está orientando as entidades públicas prestadoras de assistência técnica e extensão rural (Ater) interessadas em integrar o programa, com objetivo de aprofundar a metodologia e esclarecer sobre os critérios necessários para firmar o Instrumento Específico de Parceria. “Como é um programa novo, estamos apresentando a proposta, as etapas, as ferramentas, os critérios, a estrutura e os recursos humanos necessários para realizar esse trabalho”, explica.

Na semana passada, o presidente Instituto de Inovação para o Desenvolvimento Rural Sustentável de Alagoas (Emater-AL), Elizeu José Rêgo, e a equipe técnica do Instituto, se reuniram com os técnicos da Anater para esclarecer as dúvidas em relação ao programa.

O técnico Luís Tividini, da gerência de Gestão de Projetos, explica que para o estado de Alagoas está previsto atendimento a 32 empreendimentos e a Emater-AL pode assumir até 60%, conforme sua capacidade operacional. Segundo o técnico, conforme dados da Sead, Alagoas possui 199 empreendimentos com DAP jurídica (Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar). Destas, 15 já aderiram ao sistema da Anater.

A Emater-AL também participa do programa D. Helder Câmara, que está sendo realizado nos territórios Alto e Médio Sertão e no território Bacia Leiteira, beneficiando 1.974 agricultores e agricultoras familiares em situação de extrema pobreza. O objetivo do programa é promover a inclusão produtiva e social das famílias de agricultores e agricultoras familiares, contribuindo para o enfrentamento das condições de pobreza no Semiárido Alagoano e melhoria da qualidade de vida.

PARCERIA

O presidente Elizeu José Rêgo explica que Alagoas ficou sem a estrutura de Ater pública por quase dez anos e que a parceria com a Anater chega em boa hora. “Em 2010, quando começamos a trabalhar na implementação das políticas públicas para o setor só tínhamos uma DAP jurídica no estado. A partir de 2012/2013, recriamos a Emater, com uma estrutura mínima, muito precária, muito difícil. Hoje, já contamos com um corpo técnico que dá para fazer essas parcerias”.

O presidente destaca que o estado alagoano possui, atualmente, cerca de 4000 agricultores familiares e o setor é bem organizado. “O associativismo e o cooperativismo estão bem enraizados na agricultura familiar de Alagoas, que já foi um estado potente na produção de várias culturas agrícolas, como milho e feijão. Estamos recuperando, mas isso não uma tarefa fácil. Essas cooperativas, e o próprio agricultor, estão muito sensíveis e com vontade de dar novos passos e crescer, e as parcerias com o Governo Federal, através da Sead, e agora, com a dinâmica da Anater e a qualificação dos nossos técnicos através do Mais Gestão, será possível alavancar o trabalho desses empreendedores e a agricultura familiar no estado de Alagoas”, conclui.

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *