Publicidade

Inicio » Mais Seções » Saúde » Saúde – Às “Fake News” também podem ter impacto negativo na saúde

Saúde – Às “Fake News” também podem ter impacto negativo na saúde

Saúde – Às “Fake News” também podem ter impacto negativo na saúde

O ambiente virtual tem sido tomado por “fake news” (notícias falsas, em tradução do inglês) também na área da saúde. Mesmo sem comprovação científica, denúncias de vacinas que prejudicam a vitalidade e anúncios de medicamentos milagrosos contra o câncer se espalham como vírus – e podem ser tão ou mais maléficos do que esses microrganismos.

Maioria das informações falsas que circulam nas redes sociais mira as vacinas, como a do influenza
Maioria das informações falsas que circulam nas redes sociais mira as vacinas, como a do influenza

 

Uma simples busca com o termo “tratamento de câncer” no Google, por exemplo, resulta em mais de 4 milhões de páginas de artigos e sites sobre o assunto. No YouTube, há uma infinidade de vídeos sobre a origem e a cura de inúmeras doenças – todos sem comprovação.

Para o médico Maurie Markman, presidente da Cancer Treatment Centers of America (CTCA), nos EUA, que acompanha o fenômeno nos últimos anos, os impactos são preocupantes. “Notícias falsas podem fazer com que aumente o número de pessoas doentes por falta de vacinação ou pelo uso inadequado de medicamentos ou outras substâncias e, infelizmente, até mesmo, levar a óbitos”, explica.

Veja, algumas algumas das mentiras mais famosas
Veja, algumas algumas das mentiras mais famosas

 

Markman alerta, ainda, que as notícias falsas sobre saúde contribuem para que os pacientes deixem de ter credibilidade nas classes médicas e científicas. “As pessoas tendem a não procurar informações em fontes confiáveis, como sites de instituições governamentais e de saúde. E, mesmo quando procuram, podem acabar acreditando que as vias alternativas e falsas são as ideais”, diz. E não são.

Razões. De acordo com Pablo Ortellado, professor de pós-graduação em estudos culturais da Universidade de São Paulo (USP) e coordenador do Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas para o Acesso à Informação (Gpopai), notícias falsas sobre saúde tendem a fazer sucesso nas redes sociais principalmente porque são carregadas de conteúdo de apelo emocional como o medo e a preocupação. Elas não têm, explica o pesquisador, necessidade de corresponder à realidade.

“O ato de compartilhamento não atinge grandes proporções se não tiver uma motivação mais forte, por isso que, quando nos deparamos com as ‘fake news’, elas costumam ser bombásticas e ter um viés dramático, sobre algo que está acontecendo ou pode vir a acontecer”, explica o professor.

A oncologista Clarissa Baldotto, diretora da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (Sboc), reforça o argumento. “São informações geralmente associadas a algum tipo de teoria da conspiração. Por exemplo, que o remédio não tem comprovação ou que há interesse econômico de governos e indústrias”, pontua.

Segundo a médica Isabella Ballalai, presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBim), a melhor saída é buscar fontes de confiança. “Se a pessoa está na internet, ela pode acessar sites de instituições de saúde e públicas, como universidades. Se a dúvida é algo mais preocupante, ela pode se dirigir até o médico de confiança e procurar orientação adequada. Precisamos ter consciência de que a saúde é de suma importância e deve ser levada a sério”, afirma.

Atenção. “Muitas pessoas não se dão o mínimo trabalho de clicar no link que elas compartilham nas redes sociais. É fundamental verificar qualquer informação antes de dividir com alguém”, afirma a médica Isabella Ballalai.

Projeto em rede social visa à orientação

A febre das “fake news” nas redes sociais fez com que o Instituto Oncoguia decidisse combater as notícias falsas. Para isso, foi criado o projeto Onco Confirma, que disponibiliza um número de WhatsApp para responder o que é verdade e o que é mentira. Segundo a organização, a pessoa pode enviar a sua dúvida e será respondida em até 48 horas por oncologistas voluntários. Outras mídias como Facebook e Twitter também servem como canal de comunicação. O número do Onco Confirma é (11) 98790- 0241.

Leia Também

Acesse agora as promoções de passagens de aéreas nos voos de Montes Claros para SP e Porto Seguro

* Por: da redação - 21 de setembro de 2018. Nesta sexta-feria (21/09) é possível …

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.O espaço de comentários em nossos artigos é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *