OI TOTAL COM FIBRA
Inicio » Colunistas » Núbia Istela » Coluna da Núbia Istela – Negrinha

Coluna da Núbia Istela – Negrinha

Coluna da Núbia Istela – Negrinha

Negrinha

Negrinha agrada quando cai do cavalo

Agrada quando não faz nada

Negrinha precisa agradar se quiser alimentar

Agrada ao mendigar afeto de quem tem apenas o teto

Negrinha seja grata, Negrinha agrada

Agrada quando os olhos brilham na esperança de um abraço, um aconchego, um colo para dormir em paz

Negrinha agrada quando os hematomas em seu corpo precisam curtir no sal, dói, ela apenas suplica a Virgem Maria para a dor passar logo e pede humildemente para não deixar acontecer mais.

E mais uma vez Negrinha agrada. Agrada e espera poder dormir essa madrugada

Que nada, tem uma família para criar, e não é a sua, nunca será.

Negrinha que nasceu no ventre livre, livre de pai e mãe

Ah, quem dera, ah, quem dera ver os olhos bondosos da mulher que lhe deu à luz, só uma vez

Talvez, só talvez, pudesse sentir o amor que na vida toda necessitou

Ah, Negrinha, não seja ingrata, já tem um teto, para que afeto?

Negrinha não pode estudar, tenho os meus filhos para formar… De que ser serve estudo à Negrinha?

Negrinha tem que agradar.

Negrinha agrada quando quer brincar, mas não pode, Negrinha tem que trabalhar

Negrinha agrada quando está exausta, mas não pode, Negrinha não precisa descansar

Ah, mainha se você soubesse…  Por que foi para tão longe e me deixou aqui sozinha? Tenho frio, mainha, me falta o calor de um abraço, e alguém para secar as lágrimas de sangue que correm em meu rosto, mas só sou só Negrinha.

Negrinha precisa agradar, não seja ingrata, tem o que comer

Pra Negrinha ninguém pergunta o que quer ser quando crescer… É só  Negrinha

Aquela que faz carvão, brinca escondido no rio, antes de limpar o chão

Negrinha sem vergonha! Mas, o que eu fiz? Não fiz nada

 Negrinha não precisa de motivos para ganhar uma sova?

Minha virgem Maria, apieda-se de mim, eu sou Negrinha

Negrinha do ventre livre, livre de pai e mãe

Essa é a história de tantas Negrinhas que não olharam o quão árduo foi o caminho, liberou a passagem e ganharam o mundo.

Desejo a todos uma semana reflexiva. Fico por aqui, um grande abraço e até a próxima.

Ah!!! Não se esqueçam, conversem comigo:

Instagram: @nubiaistela

YouTube: Núbia Istela

Facebook: Núbia Istela

Twitter: @nubiaistela

Núbia Istela
Núbia Istela

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.O espaço de comentários em nossos artigos é destinado a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não às pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou email válido).

Um comentário

  1. Silmara Roseane Silva Pereira Silmara

    Não contive as lágrimas. Que linda poesia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *