Empréstimo Consignado para aposentados, pensionistas do INSS

Últimas Notícias
Casa das Apostas Online Betway

Acompanhe a evolução do mercado imobiliário ao longo dos anos

Acompanhe a evolução do mercado imobiliário ao longo dos anos

Antes de comprar um imóvel, é importante entender como está o mercado imobiliário atual para novos empreendimentos, já que o setor vem sofrendo altos e baixos ao longo dos últimos anos.

Acompanhe a evolução do mercado imobiliário ao longo dos anos

 

Para entender melhor essa situação, acompanhe como o mercado imobiliário vem evoluindo a cada ano e como está o seu posicionamento atual. Será que é o melhor momento para adquirir um imóvel? Descubra agora mesmo!

Como se deu a evolução do mercado imobiliário

Com as medidas populistas aplicadas na época do regime ditatorial militar (mais precisamente em 1980), muitas famílias tiveram a oportunidade de financiar o seu primeiro imóvel. No entanto, com a discordância entre banco e comprador, explodiu a crise dos mutuários nos contratos de financiamento habitacional.

Dessa forma, o setor imobiliário, na década de 90, passou por um dos seus piores períodos. Na época, o país passava por um cenário econômico desfavorável para quem trabalhava no ramo de compra e venda de imóveis.

A economia no Brasil trabalhava com um alto índice inflacionário e os bancos não concediam crédito para as construtoras produzirem imóveis, muito menos comercializá-los.

Mas, a partir de 2004, o mercado imobiliário passou a crescer novamente. O fato aconteceu no mesmo período em que os bancos se viram obrigados a manter um maior volume de crédito, além da criação de novas linhas de créditos de financiamento.

Em 2008, a crise imobiliária americana refletiu de forma negativa em todo o mundo, inclusive no Brasil. Porém, no período pós-crise, o país conseguiu viver uma época de valorização imobiliária, durante os anos de 2008 a 2011.

A partir de 2013, o setor bateu o recorde de venda de imóveis, ao mesmo tempo que começou a apresentar sinais de desaquecimento. Mas somente em 2015 houve o agravamento de tal situação.

Com alterações nas regras de financiamento relacionadas, principalmente, aos imóveis usados e à crise econômica do país, o setor imobiliário passou a apresentar instabilidades que ainda poderiam ser melhoradas com o novo governo.

Pontos altos e baixos do mercado imobiliário:

Ponto alto

  • 1980 – Medidas populistas do regime ditatorial militar para estimular o mercado imobiliário;
  • 2004 – Retomada do mercado imobiliário;
  • 2007 – Melhorias nas condições de financiamento;
  • 2010 – Implementação do programa “Minha casa, Minha vida”.

Ponto baixo

  • 1990 – Crise dos mutuários;
  • 2008 – Crise imobiliária nos Estados Unidos;
  • 2015 – Agravou-se a situação do mercado imobiliário em virtude do enfraquecimento da economia nacional e de incertezas políticas.

Como está a situação do mercado imobiliário e os novos empreendimentos

O mercado imobiliário atual se encontra em um cenário favorável, já que a Caixa Econômica Federal, principal financiadora do país, tem aumentado sua carteira de crédito.

Além disso, o orçamento para crédito habitacional tem se mantido desde 2017, o que estimula o lançamento de novas unidades pelos programas de habitação, além dos imóveis que já estão no mercado.

O programa “Minha casa, Minha vida” apresentou atualizações em suas regras, aumentando o limite da renda dos consumidores de 6,5 mil para 9 mil. Dessa forma, mais pessoas terão oportunidades de adquirir um imóvel, usufruindo de alguns benefícios do programa.

A partir de 2019, os agentes financeiros terão mais liberdade de oferecer financiamentos e empréstimos para outras modalidades, além do Sistema Financeiro de Habitação – SFH.

Com isso, os novos compradores terão mais opções na hora de escolher o crédito imobiliário que atenda às suas necessidades, pois clientes com perfil para comprar imóveis de R$ 250 mil a R$ 500 mil podem ter facilidades na hora de adquiri-los.

Com o resultado das eleições, a expectativa é que a venda dos imóveis populares cresça cada vez mais. Ao mesmo tempo, é recomendado cautela na aquisição de imóveis de médio e alto padrão, tendo em mente que a volatilidade nesse nicho deve desacelerar.

Por isso, as construtoras devem focar em novos empreendimentos que atendam ao segmento de imóveis de baixa renda, já que, com o aumento da renda para financiar imóveis para essa parcela de clientes, deve aumentar a confiabilidade nesse perfil de comprador.

Nesse caso, quem deseja adquirir novos empreendimentos precisa acompanhar as tendências do mercado imobiliário atual. Todavia, o processo fica mais interessante quando há a oportunidade de conhecer sua evolução e histórico.

Quer saber as notícias do Jornal Montes Claros em primeira mão? Siga-nos no Facebook @jornamoc, Twitter @jornalmoc e Instagram @jornalmoc.