NordVPN - A melhor oferta de VPN

Vaga no Bolso

Inicio » Internacional » Imprensa do mundo destaca consequências para Vale após rompimento da barragem

Imprensa do mundo destaca consequências para Vale após rompimento da barragem

Imprensa do mundo destaca consequências para Vale após rompimento da barragem

A imprensa internacional continua a destacar os desdobramentos após o rompimento da barragem em Brumadinho. Além de lançar luz sobre a tragédia, os veículos informam sobre o impacto para a ação da Vale.

Imprensa do mundo destaca consequências para Vale após rompimento da barragem
Imprensa do mundo destaca consequências para Vale após rompimento da barragem
O britânico Financial Times, por exemplo, afirma nesta segunda-feira, 28, que a Vale “perdeu um quarto de seu valor após o desastre da barragem”. O FT também lembra que a empresa suspendeu o pagamento de dividendo, seu programa de recompra de ações e o pagamento de bônus a altos executivos. Analistas citados pelo jornal dizem que a decisão de suspender os retornos aos acionistas ocorre diante do possível “impacto financeiro significativo” com “o acidente, um dos maiores da história da indústria de mineração”.

A BBC, por sua vez, cita que políticos do Brasil, como o vice-presidente Hamilton Mourão, defenderam punição aos responsáveis pelo episódio, diante das dezenas de mortos e centenas de feridos. A rede britânica também reproduz declaração da procuradora-geral, Raquel Dodge, sobre a importância de responsabilizar os culpados.

Nos EUA, a rede CNBC lembra o fato de a tragédia ser o segundo grande episódio do tipo com a mineradora brasileira em cerca de três anos. Além disso, ressalta a forte queda do papel da empresa negociado em Nova York. Já a emissora CBS destacava o sinal negativo de que ninguém foi encontrado com vida no domingo, um péssimo sinal para as buscas. A CNN também acompanha o caso e cita críticas recebidas pela Vale, após o rompimento da barragem de Mariana, em novembro de 2015.

A emissora Al Jazeera, do Catar, também informa sobre o caso. A rede cita o braço brasileiro do Greenpeace, segundo o qual o rompimento da barragem é “uma consequência triste de lições não aprendidas pelo governo brasileiro e pelas companhias mineradoras”.

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não ás pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *