Casa das Apostas Online Betway

Últimas Notícias

SAIBA MAIS AQUI - FAÇA CLICK

Coluna do Pe. Ezequiel Dal Pozzo – O “querer é poder” é algo verdadeiro?

Coluna do Pe. Ezequiel Dal Pozzo – O “querer é poder” é algo verdadeiro?

Muitas pessoas vivem frustradas e infelizes por não conseguirem o que querem. Alguns insistem em caminhos que não são produtivos, alimentando a ideia do querer é poder. Certo é que sem querer não se consegue nada, não se atinge os objetivos. Eu preciso desejar, querer algo, para que isso possa ser conquistado.

Um jovem pode querer trabalhar numa determinada empresa, em tal função e com um bom salário. Isso deve, no entanto, colocá-lo no caminho do crescimento, da busca de aprimoramento para atingir tal objetivo. O desejo precisa me pôr a caminho. Não posso pensar que basta querer e insistir na ideia, que tudo se fará. Isso é criar uma ilusão em relação à vida e às coisas. Um toque de mágica não vai produzir a realidade do desejo. Ocorre, que muitas pessoas, especialmente jovens, vivem nessa ilusão. Querem algo, mas não fazem nada para conseguir. Nisso, o desejo se torna um caminho para a decepção.

O profissional que vai conseguir aquela vaga é alguém que lutou para tornar-se merecedor. Desejou aquele posto, percebeu o que era necessário para atingi-lo, estudou e se preparou, destacou-se pelo trabalho e chegou ao objetivo. O que desejou se realizou, porque batalhou. Por isso, o querer é poder quando aquilo que quero depende só de mim. Quero emagrecer, vou fazer dieta. Quero ajudar os outros, encontro um trabalho voluntário. Quero cultivar meu espírito, encontro tempo para o silêncio e a oração. Porém, quando o meu querer depende de outros, então tenho que me adequar à necessidade, para que o outro perceba o meu potencial e eu me torne um profissional daquela função.

Eu posso querer ganhar um carro, mas isso dependerá da sorte e é sempre muito difícil. Eu quero ser amado por uma pessoa, mas preciso demonstrar que sou uma pessoa boa, que tenho interesse pelo bem dos outros, que sou uma pessoa de bem comigo mesmo. O meu desejo precisa ser acompanhado por atitudes concretas e visíveis. Posso querer ter uma família boa, mas preciso buscar as atitudes, os valores necessários para que isso aconteça. Ainda, muitas vezes, estou convencido de que os valores que eu tenho já deveriam resultar naquela realidade, mas nem sempre é assim. As pessoas se enganam facilmente. Posso pensar que agindo assim com o filho vou salvá-lo, mas ao contrário, agindo assim vou perdê-lo.

Por isso, o querer é poder nem sempre é verdadeiro, porque faltam coisas para que o querer se torne realidade. Querer, todos querem. Conseguirá quem crescer, quem lutar, quem souber se posicionar com valores e princípios. Se eu quero um emprego bom, uma família boa, relacionamentos saudáveis; se quero que as pessoas me amem; se quero ser reconhecido por alguma obra, então devo me colocar a caminho. Se ficar parado nada acontecerá diferente do que já é. Por isso, deseje, busque, ame, sofra, lute, cresça, não desista e faça do seu querer um poder para atingir os objetivos mais nobres e realizadores da sua vida.

Padre Ezequiel Dal Pozzo é sacerdote da Diocese de Caxias do Sul (RS). Cantor e compositor, lidera o Projeto Despertai para o Amor, de evangelização através da música e dos meios de comunicação. Já lançou 5 CDS e 1 DVD e roda o Brasil com shows musicais, palestras, missas e pregações. Apresenta diariamente a reflexão Despertai para o Amor em mais de 140 rádios de 19 Estados do Brasil e o programa semanal Despertai para o Amor na TV Evangelizar e na TV Nazaré. É editor da Revista Despertai para o amor de circulação trimestral e autor do livro“Beber na fonte do amor: como a misericórdia humaniza e traz verdadeira alegria”(Edições Loyola).

 

Padre Ezequiel Dal Pozzo
Padre Ezequiel Dal Pozzo

Aviso

  • • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *