NordVPN - A melhor oferta de VPN

Vaga no Bolso

Inicio » Colunistas » Pe. Ezequiel Dal Pozzo » Coluna do Pe. Ezequiel Dal Pozzo – Posturas que nos impedem de encontrar paz e descanso

Coluna do Pe. Ezequiel Dal Pozzo – Posturas que nos impedem de encontrar paz e descanso

Coluna do Pe. Ezequiel Dal Pozzo – Posturas que nos impedem de encontrar paz e descanso

Nós queremos encontrar tranquilidade e paz. Ninguém vive e pode viver intranquilo o tempo todo. Algumas posturas que assumimos impedem que encontremos a tranquilidade. A sabedoria mística ensina a não ser temeroso, nem turbulento, nem excessivo ou obstinado ou, até mesmo, desconfiado. Essas posturas nunca nos deixam descansar. Estaremos sempre devendo algo à vida, aos outros e a nós mesmos. 

O medo também é um sentimento que intranquiliza. Existem pessoas muito medrosas. Sempre tem algo para temer, nunca estão em paz. Pode ser medo de elevador, de altura, do escuro ou medo da opinião dos outros, medo de errar, de não atingir as expectativas de alguém.  Penso que o outro pode ter notado a minha insegurança ou minha falta de clareza, me preocupo com o que pode pensar e dizer de mim. Essa postura nunca me traz paz, por isso devo largar esse jeito de pensar.

De outra forma, posso ser uma pessoa agitada e agitar todos os que estão ao redor. Parece que tudo precisa estar sempre em movimento, andando, senão não vou atingir os resultados esperados. Desse modo, intranquilizo também quem esta comigo. Ainda, posso ser turbulento, inquieto, jamais me agrado dos resultados, sou tempestuoso, impulsivo e cheio de confusão. Atualmente, o ritmo das coisas coloca muitas pessoas nesse cenário. Vivem como se a vida não tivesse fim, como se tudo fosse resultado mensurável.

Se não fazemos gestão das emoções poderemos ser jogados de um lado para o outro por elas. Paixões, raivas, intranquilidades, medos, desejos, o turbilhão de sentimentos que o ser humano experimenta, podem torná-lo permanentemente intranquilo. Nem dormir direito consegue. Seus pensamentos e emoções nunca encontram o ponto de descanso.

Outro motivo da intranquilidade é o descomedimento. Não saber a medida é um dos problemas do ser humano atual. Nunca está satisfeito com o que têm, com o que alcançou, com aquilo que pode produzir. Não consegue desfrutar do presente, estar na situação que está e sentir-se feliz. Parece que a paz está sempre do outro lado, naquilo que ainda não alcançou, naquilo que não experimentou. Seu dinheiro nunca é suficiente, sua casa nunca está boa, porque seu amigo ganha mais dinheiro e tem uma casa melhor. Isso o deixa inquieto e insatisfeito. Não consegue nem desfrutar as férias porque está preocupado com o trabalho ou com o lugar em que irá passar férias no próximo ano.

A obstinação também impede a tranquilidade. Obstinado pode significar resoluto, pertinaz, inflexível. Sua resolução não pode ser contrariada. É inflexível, não consegue voltar atrás, endurece seu posicionamento e sua rigidez, o que o impede de ter paz. Irrita-se com tudo o que não cabe em sua visão estreita. Essa, de alguma forma, é a negação de todo movimento, de toda mudança.

Se a paz é um desejo de todos, então posso perceber se em mim, alguma postura dessas me acompanha. Se olharmos para Jesus, lembramos: Vinde a mim vós que estais cansados e sem paz, que eu voz darei descanso, tranquilidade.

 

Padre Ezequiel Dal Pozzo é sacerdote da Diocese de Caxias do Sul (RS). Cantor e compositor, lidera o Projeto Despertai para o Amor, de evangelização através da música e dos meios de comunicação. Já lançou 5 CDS e 1 DVD e roda o Brasil com shows musicais, palestras, missas e pregações. Apresenta diariamente a reflexão Despertai para o Amor em mais de 140 rádios de 19 Estados do Brasil e o programa semanal Despertai para o Amor na TV Evangelizar e na TV Nazaré. É editor da Revista Despertai para o amor de circulação trimestral e autor do livro“Beber na fonte do amor: como a misericórdia humaniza e traz verdadeira alegria”(Edições Loyola).

 

Padre Ezequiel Dal Pozzo
Padre Ezequiel Dal Pozzo

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não ás pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *