Empréstimo Consignado para aposentados, pensionistas do INSS

Últimas Notícias
Casa das Apostas Online Betway

Grandes obras nacionais que viraram filmes

Grandes obras nacionais que viraram filmes

A literatura brasileira é sempre cobrada em provas para universidades e nem todo estudante tem tempo para ler as obras que são exigidas nos exames. Uma boa notícia é que obras importantíssimas da nossa história foram adaptadas em filmes e além de procurar um cursinho preparatório Enem on-line, também é possível ter conhecimento dessas grandes histórias.

Grandes obras nacionais que viraram filmes

Veja a seguir, uma lista de filmes que foram e até hoje são citados em provas das maiores universidades do país e são consideradas patrimônios da cultura brasileira.

Capitães de Areia – Jorge Amado

Um dos autores com o maior número de obras adaptadas em produções televisivas também teve um dos seus melhores livros exibido no cinema. Capitães de Areia é um dos clássicos de Jorge Amado e um dos maiores sucessos da história da literatura.

A produção de Cecília Amado estreou em 2011, contando a história de Pedro Bala, interpretado por Jean Amorim, e Professor, personagem de Robério Lima e seus meninos de rua. Como toda obra de Jorge Amado, Salvador é muito bem representada — tanto no livro, como no filme.

O Cortiço – Aluísio Azevedo

O Cortiço, de Aluísio Azevedo, é uma das obras mais memoráveis da literatura brasileira. A trajetória de João Romão, Jerônimo e Rita Bonita saiu das páginas e foi parar na telonas em 1978.

Protagonizada por Armando Bógus, Mário Gomes e Betty Faria, a produção retrata fielmente a realidade que o autor expressa na obra, uma das mais importantes do realismo-naturalismo brasileiro.

Assistindo ao filme, é possível ter um parâmetro do que era o Brasil da época em que é retratado. No entanto, é válido se dedicar à prazerosa leitura das palavras de Azevedo.

Os Sertões – Euclides da Cunha

Em 1997, o diretor Sérgio Rezende decidiu transformar Os Sertões em uma produção cinematográfica. Guerra dos Canudos é um filme protagonizado por Cláudia Abreu e José Wilker, nos papéis de Luíza e Antonio Conselheiro.

A produção é considerada uma das mais importantes da história do cinema nacional, orçada em mais de U$ 6 milhões! Além disso, a conclusão do filme durou quase 4 anos. Aos que desejam saber um pouco sobre esse momento tão importante da História do Brasil, vale assistir!

O Auto da Compadecida – Ariano Suassuna

Um dos filmes nacionais de maior sucesso até hoje, é a adaptação de O Auto da Compadecida, dirigido por Guel Arraes e protagonizado pelos atores Selton Mello e Matheus Nachtergaele.

Produzido em 1999,  a saga de Chicó e João Grilo foi muito bem exposta na produção, que retrata de forma clara a pobreza, a garra e a fé do povo nordestino. Assim como a obra de Suassuna, a figura do Cangaceiro é bem representada, em mais uma das brilhantes atuações de Marco Nanini.

Memórias Póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis

Os atores Reginaldo Faria e Petrônio Gontijo dividem um dos papéis mais emblemáticos da literatura nacional! Memórias Póstumas é um filme dirigido por André Klotzel, inspirado em Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, em que os atores citados interpretam o protagonista.

Sônia Braga e Marcos Caruso também participam da produção, nos papéis de Marcela, a grande paixão de Brás Cubas e Quincas Borba, seu fiel amigo. Assistir ao filme é um bom início para entender um pouco mais sobre uma das obras mais cobradas nas provas mais importantes do país.

Outras obras que viraram filmes

O cinema nacional também é composto por outras famosíssimas obras literárias, veja só:

  • Olga, de Fernando Morais ;
  • Carandiru, de Dráuzio Varella;
  • A hora da estrela, de Cecília Meireles;
  • Iracema, de José de Alencar;
  • O pagador de promessas, de Dias Gomes,
  • O Tempo e o Vento, de Érico Veríssimo.

Se você deseja aprender e conhecer um pouco mais sobre a literatura brasileira, passar duas horinhas em frente a TV pode auxiliar muito! Aproveite!

Quer saber as notícias do Jornal Montes Claros em primeira mão? Siga-nos no Facebook @jornamoc, Twitter @jornalmoc e Instagram @jornalmoc.