FENICS 2019 - ACI

Obtenha mais clientes com a sua ficha do Google

Inicio » Economia » Taxa efetiva: o que é cobrado no financiamento de imóveis

Taxa efetiva: o que é cobrado no financiamento de imóveis

Taxa efetiva: o que é cobrado no financiamento de imóveis

O sonho da casa própria é um dos maiores objetivos da maioria dos brasileiros. Mas, para financiar um imóvel com segurança, é preciso saber todos os custos que estão inseridos no financiamento. Somente assim, você saberá como financiar uma casa em condições que se encaixam dentro do seu perfil financeiro.

Taxa efetiva: o que é cobrado no financiamento de imóveis

 

O que é um financiamento imobiliário?

O financiamento imobiliário pode ser descrito como uma espécie de empréstimo feito junto a um banco. Na prática, você paga por um imóvel com dinheiro de terceiros — neste caso, o banco ou uma financeira. O banco paga o valor inteiro pelo imóvel financiado e o devedor — solicitante do financiamento — fica encarregado de pagar o valor oferecido pelo banco em um prazo determinado.

É lógico que, dentro deste valor devolvido ao banco pela compra de um imóvel, estão inseridos outros custos. A definição dos valores totais e de cada parcela de um financiamento variam, de acordo com as taxas incluídas, e isso depende do perfil de cada cliente.

Por conta dos juros e de outras taxas, o devedor pagará mais do que foi pago pelo banco no ato de compra da casa. Então, é preciso avaliar as linhas de financiamento disponíveis para evitar um custo exorbitante sobre o imóvel financiado.

O que é cobrado em um financiamento imobiliário?

O financiamento imobiliário é formado por taxas administrativas, juros, amortização e outros encargos. As principais cobranças são os juros embutidos no financiamento e as taxas administrativas e seguros. Não há uma regra, os valores variam de banco para banco e de cliente para cliente.

Juros

As taxas de juros são estipuladas de acordo com o perfil de cada cliente, e as garantias dadas a instituição financeira. Informações como o valor total do financiamento, a renda do solicitante, sua idade e outras questões pessoais, influenciam nos juros cobrados. Estas características são fundamentais para o banco analisar o risco do financiamento. Em resumo: quanto maior o risco, maiores devem ser os juros.

Amortização

A amortização é um processo de redução de dívida e também entra no financiamento imobiliário. Em outras palavras, a amortização é a parte de cada parcela paga pelo devedor para reduzir a sua dívida.

Geralmente, no financiamento imobiliário, a amortização da dívida pode ser facilmente identificada em alguns modelos. Nos financiamentos do tipo SAC (Sistema de Amortização Constante), por exemplo, o valor das parcelas vai caindo ao longo do prazo de pagamento.

Taxas administrativas

Ao realizar um financiamento imobiliário, os bancos cobram taxas administrativas e seguros, além de possíveis outros encargos. O que isso quer dizer? Esse valor impacta no CET (Custo Efetivo Total) da dívida e é cobrado em cada parcela do financiamento.

Como estas taxas e seus valores são bastante variáveis, o ideal é que o usuário pesquise sobre o CET oferecido pelo banco e faça comparações entre as instituições financeiras. Os custos administrativos podem pesar bastante no custo final do financiamento, por isso, é preciso ficar de olho.

Como funciona a taxa efetiva?

A taxa efetiva é a parte do financiamento onde os encargos administrativos e outras taxas cobradas pelo banco entram nas parcelas de um financiamento imobiliário. A cobrança de taxas administrativas, seguros e taxas de avaliação, contrato, entre outras, serão embutidas no valor final do financiamento. Esses valores comporão, junto com amortização e juros, o CET de um financiamento imobiliário.

E, assim como acontece com a “taxa de conveniência” cobrada por muitos sites de venda de ingressos, por exemplo, a taxa efetiva incidirá em cada compra, no caso de financiamento imobiliário, em cada parcela.

Avaliar esse custo é de suma importância para escolher pelo financiamento mais vantajoso. Isso por que, ele é o que mais varia e o que diferencia mais fortemente as instituições financeiras. Se você está procurando por financiamento imobiliário, o ideal é que você busque pelo CET oferecido por cada banco referente ao valor que você deseja solicitar. Dessa forma, você terá uma noção mais concretas das demais taxas que compõe o financiamento.

Devido a concorrência, muitos bancos, em determinados períodos, acabam isentando o cliente de certas taxas administrativas para ter vantagem sobre os demais, então também é preciso estar de olho nisso, para adquirir um financiamento imobiliário com condições de pagamento mais vantajosas para o seu perfil.

Aviso: Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *