Últimas Notícias

Norte de Minas – Evento marcará lançamento da “Frente pelos Direitos Humanos LGBT no Norte de Minas”

Norte de Minas – Evento marcará lançamento da “Frente pelos Direitos Humanos LGBT no Norte de Minas”

Norte de Minas – Foi lançado no mês de junho de 2019 a “Frente pelos direitos humanos LGBT do Norte de Minas”, o coletivo é composto por diversas entidades locais e regionais que trabalham com esse público e com as temáticas afins. O objetivo é dar visibilidade para a pauta e assegurar os direitos da população LGBTQIAP+, a partir do entendimento de que essas pessoas são sujeitos de direitos a quem deve-se resguardar os direitos e garantias e que não devem ser discriminadas pela sociedade, diminuindo assim a violência. Atualmente, nosso país é o recordista mundial de homicídios por homofobia e a atuação deste coletivo tem o propósito de levar à diminuição da violência e do desrespeito em relação a esse público.

Norte de Minas - Evento marcará lançamento da "Frente pelos Direitos Humanos LGBT no Norte de Minas"
Norte de Minas – Evento marcará lançamento da “Frente pelos Direitos Humanos LGBT no Norte de Minas”

 

Na próxima sexta-feira (28), a partir das 8h, na Praça Dr. Carlos, centro de Montes Claros, será realizada uma vasta programação para lançamento da “Frente pelos direitos humanos LGBT do Norte de Minas” e em comemoração aos 41 anos do movimento LGBT no Brasil. O evento contará com apresentações artísticas, performances de Drag, intervenção poéticas, distribuição de panfletos, entre outras atrações.

Frente pelos direitos humanos LGBT do Norte de Minas

A Frente tem por objetivo reunir diversas demandas relacionadas à população LGBT, especialmente da parcela que se encontra em maior situação de vulnerabilidade social: Trans e travestis. O Coletivo também problematiza o caráter exclusivamente punitivista da recente criminalização da homofobia pelo STF (ADO 26 e MI 4733), tendo em vista as dificuldades do nosso sistema penitenciário. Há vertentes dentro do movimento LBGT que entendam que a simples e pura punição penal dos agressores não é suficiente para combater os casos de homofobia que acontecem cotidianamente no Brasil. É necessário também a aplicação de medidas de caráter educativo e cultural, bem como a abertura de um debate com a sociedade sobre a temática de direitos humanos da população LGBT. Nesse sentido, a Frente tem como objetivo a promoção de rodas de conversa acerca de temas que circundam o universo LGBT, tais como nomenclaturas, teorias, questões psicológicas, relações familiares, educação, saúde, cultura, prostituição etc.

Objetiva ainda, tornamos visível uma população que constitui sua identidade a partir da diversidade sexual e de gênero. Ainda hoje, por força de estigmas e preconceitos, é necessário assegurar à população LGBT o exercício livre e autônomo de seus direitos, de maneira que possam construir suas vidas como a qualquer outra pessoa humana. Trata-se de uma população que possui anseios, sonhos, que lutam pela sua sobrevivência diária, padecem de sofrimentos, alimentam-se de esperanças e, especialmente, amam de diferentes formas ou arquitetam diferentes corpos. A população LGBT subverte padrões de comportamento e normas tacitamente preestabelecidas no ordenamento social. Por esta razão, ainda é vítima das mais diferentes formas de violência.

A violência contra a população LGBT se expressa de diversas maneiras, sendo todas elas mecanismos de controle de padrões sociais e forma de anulação das diferentes expressões sexuais e de gênero. A forma inicial da manifestação das intolerâncias é a difamação, que, por meio de palavras, com ofensas que humilham e impedem a liberdade e a autonomia destas pessoas. As piadas também são formas socialmente aceitas de expressão LGBTfóbica, e podem ocasionar nas vítimas sérios problemas psicológicos e altos índices de suicídio, que vem extinguindo diariamente a vida de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, mulheres transexuais e homens Trans. A essa população é destinada as formas mais cruéis de controle e punição pela simples condição de existirem.  Tais atos são decorrentes de intenso ódio e resultam na absoluta violação da dignidade humana, elemento essencial para a vida de todas as pessoas.

A “Frente pelos direitos humanos LGBT do Norte de Minas”, pretende ser um espaço de articulação e de referência para o combate à LGBTfobia e para a promoção de práticas democráticas de respeito às diferenças. Receberá denúncias referentes à violência em todos os aspectos contra a população LGBT através do Centro de Referência em Direitos Humanos – CRDH Norte. O coletivo convida toda asociedade para um novo diálogo em torno das diferenças sexuais e de gênero. Trata-se de uma frente que funcionará como mecanismo de promoção do orgulho de ser quem se é, redimensionando concepções que impõem uma forma padronizada de convivência em sociedade. Mais ainda, aponta que é possível a constituição de uma sociedade mais justa a partir do reconhecimento das diferenças humanas como elemento que agrega indivíduos e expande conceitos e regras, além de, efetivamente, emancipar pessoas. O que é diferente, soma.

41 ANOS DO MOVIMENTO LGBT NO BRASIL

Em 2019, comemoram-se 41 anos do movimento LGBT no Brasil. Nos Estados Unidos, o movimento surgiu durante uma batida policial no bar Stonewall Inn, em Nova Iorque. O bar foi um dos pioneiros do gênero na década de 1960 e servia de ponto de encontro entre gays e lésbicas. Os frequentadores, já cansados de abusos e repreensões de autoridades locais, rebelaram-se em 28 de junho de 1969 – o que resultou na prisão e no espancamento de várias pessoas. Após o ocorrido, 2.000 manifestantes foram às ruas da cidade protestar em prol da população LGBT em junho daquele ano.

ENTIDADES PARCEIRAS E PARTICIPANTES:

Bloco Maria Bonita, Coletivo Casa Crua / Coletivo Mães pela Diversidade – Núcleo Norte de Minas / Coletivo Prepara Trans / Centro de Referência em Direitos Humanos CRDH – Norte / (in)serto – Núcleo pela Diversidade Sexual e de Gênero da Unimontes / Grupo de Pesquisa e Estudo em Gênero e Violência – Unimontes / Levante Popular da Juventude / MLGBTG – Movimento LGBT das Gerais / Podcast HQ da vida – histórias de LGBTs / Mães Pela Diversidade, dentre outras.

 

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

DATA: 28/06/2019 (Sexta-feira)

HORÁRIO: 8h às 12h

LOCAL: Praça Dr. Carlos

8h às 12h – Distribuição de panfletos e conscientização na praça Dr. Carlos

8h30 – Apresentação da Frente pelos direitos humanos LGBT do Norte de Minas

9h – Performance

9h30 – Poemas

10h – Show

11h30 – Som eletrônico

INFORMAÇÕES:

Siga nossa página Frente pelos direitos humanos LGBT do Norte de Minas no facebook e @frentelgbtnorte no Instagram, ou faça contato através do CRDH Norte: (38) 9.9725-3694 e (38) 9.9725-3924. Endereço da sede: Rua Juca Prates, nº1100, bairro: Morrinhos, na cidade de Montes Claros/MG.