Vaga no Bolso

Turbo Pesquisa - CLIQUE AQUI PARA MIAS INFORMAÇÕES
Inicio » Esporte » Taça Libertadores » Libertadores – Galo abre o placar, mas sofre virada no fim para o Vasco e fase ruim segue

Libertadores – Galo abre o placar, mas sofre virada no fim para o Vasco e fase ruim segue

Libertadores – Galo abre o placar, mas sofre virada no fim para o Vasco e fase ruim segue

Não deu para confirmar a recuperação nem se aproximar da zona de classificação à Copa Libertadores. O que foi confirmado nesta noite, no Independência, foi a péssima fase do Atlético. Com mais uma exibição ruim e nada inspirada, o Galo mostrou que não superou o momento ruim e, em um jogo tecnicamente muito fraco e sonolento, foi derrotado em casa pelo Vasco, por 2 a 1, com um gol nos acréscimos, nesta noite, em jogo adiado pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. Foi a sétima derrota atleticana nos últimos oito jogos na competição.

Brasileirão 2019 - Galo abre o placar, mas sofre virada no fim para o Vasco e fase ruim segue
Brasileirão 2019 – Galo abre o placar, mas sofre virada no fim para o Vasco e fase ruim segue

 

Com o resultado, o Galo segue no 10º lugar do torneio, com 30 pontos, sete atrás do Bahia, sexto colocado e primeiro time no G-6. Já o time carioca sobe para o 13º, com 27, e se aproxima da equipe atleticana.

Na próxima rodada, o Atlético encara o Palmeiras, fora de casa, no domingo (6), às 16h (de Brasília). É a primeira parada dura de uma sequência que terá também Flamengo (fora) e Grêmio (casa).

O jogo

A partida foi muito ruim. Tecnicamente fraca e taticamente nada interessante. Nos primeiros 25 minutos de jogo, o Vasco foi melhor, chegando com mais perigo e criando algumas boas oportunidades. Cleiton inclusive fez uma boa defesa em finalização de Ribamar. A única boa chance atleticana foi em venenosa cobrança de falta de Otero, que parou no travessão. Não à toa, o Cruzmaltino chegou a ter 70% de posse de bola contra 30% do Galo e oito finalizações contra apenas uma dos mandantes.

As coisas só foram mudar por volta dos 30 minutos, quando o Atlético organizou melhor a troca de passes no meio-campo, encaixou a marcação e equilibrou as ações. Os números, inclusive, comprovam a melhora alvinegra, com a posse de bola passando a ser de 51% dos vascaínos contra 49% dos mandantes, e o Galo tendo quatro finalizações contra uma dos visitantes nos 15 minutos finais da etapa inicial. Ainda assim, a chance mais perigosa foi do time comandado por Vanderlei Luxemburgo, com Talles acertando perigosa cabeçada que parou na trave.

O jogo seguiu morno e com nível técnico baixo no segundo tempo, mas ganhou um pouco mais de emoção. Melhor na segunda etapa, o Atlético até superou o Vasco na posse de bola, encerrando a partida com 52% contra 48% dos visitantes e equilibrou em finalizações, terminando a partida com 14, apenas uma a menos que o adversário. No entanto, não foi o suficiente para vencer e o time, sem inspiração e em nova atuação ruim, na realidade pouco ameaçou o gol adversário.

A emoção ficou por conta dos gols, ambos com participação do VAR. O Atlético abriu o placar aos 14 minutos, com Otero, de cabeça. O gol, porém, só foi confirmado após longa consulta do árbitro de vídeo. Sete minutos depois, o Vasco empatou. Heber Roberto Lopes foi consultar o VAR e assinalou penalidade a favor do Cruzmaltino. Rossi, que tinha entrado em campo apenas nove minutos antes, bateu bem e empatou a partida.

Depois disso, o Galo até tentou voltar a ficar em vantagem, mas, sem inspiração, não conseguiu criar grandes chances e sofreu o castigo no final. Após lindo lançamento de Rossi, o homem do jogo, que entrou para mudar a partida e ser decisivo para o Vasco, Marcos Júnior, já nos acréscimos, aproveitou erro de Patric e virou para o Cruzmaltino, decretando a vitória do time de Luxemburgo e mais uma derrota atleticana, para decepção da torcida, que vaiou o time e saiu do Horto muito chateada com a péssima fase da equipe.

Aviso

  • • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *