Matrículas Aberta - Escola Adventista

Últimas Notícias

SAIBA MAIS AQUI - FAÇA CLICK

Inicio » Mais Seções » Saúde » Entenda a dinâmica entre a nova geração e o consumo de alimentos

Entenda a dinâmica entre a nova geração e o consumo de alimentos

Entenda a dinâmica entre a nova geração e o consumo de alimentos

Novos paradigmas sociais e ambientais regem o padrão de consumo dos chamados Millennials, e têm impacto direto sobre os setores de produção 

Entenda a dinâmica entre a nova geração e o consumo de alimentos

 

As recentes revoluções tecnológicas e científicas transformaram diretamente as estruturas sociais e as relações interpessoais mundo afora. A maneira como adquirimos conhecimentos, bem como a maior produção e acesso à informação, têm influência sobre concepções particulares e coletivas.

De setores industriais a hábitos alimentares, as inovações  tecnológicas afetam todos os setores de consumo, sobretudo os voltados às gerações Z e Millennials.

Nascidos entre o meio da década de 1980 e o começo da década de 2010, as pessoas que fazem parte dessas nomenclaturas nasceram em um período de grande efervescência tecnológica e sobretudo digital.

Dentre todas as mudanças significativas, o relacionamento com a comida é algo que chama a atenção. O crescimento das áreas alimentícias saudáveis indica a concretização de uma nova perspectiva, capaz de reorganizar padrões consolidados de mercado.

Atualmente, gigantes do fast-food, por exemplo, passaram a incluir “carnes” de origem vegetal em seus cardápios fixos, apostando na conquista desse novo público que não se atrai pelo tradicional modelo ofertado.

Marcas que dominam a categoria, com presença firmada em todos os continentes, perceberam a necessidade de adaptação às modernas tendências, explicitando que as mudanças chegaram para ficar.

Consciência nova

As novas gerações apresentam comportamentos de interação e identificação totalmente diferentes daqueles observados anteriormente. Elas compreendem o mundo por meio de ações políticas, são mais sensíveis à arte, e demonstram empatia com o meio ambiente e com a preservação do planeta.

Cada vez que optam por determinado alimento, visam não somente o consumo nutritivo, como também depositam um voto sobre algo que acreditam ser melhor para o todo.

Consumidores ajustados às novas tendências valorizam produtos sustentáveis, saudáveis e autênticos.

Essas expressões traduzem-se em alimentos naturais, de verdade, com ingredientes de origem legal, que correspondam à consciência ecológica. Não é apenas pela necessidade biológica e manutenção adequada do organismo, mas também por pensamentos sociais e pela instauração de culturas universais.

Relações de consumo

Além da origem do alimento, o modo como as empresas interagem com o público também é extremamente importante. Característica intrínseca aos consumidores 4.0, a associação à internet é aspecto que deve ser explorado, olhando sempre para a natureza engajada, inclusiva, intuitiva e didática das gerações alvo.

A ideologia do cliente é elevada ao nível de orientação para a criação de produtos e campanhas, havendo constantes adequações — ou ao menos tentativas — por parte das marcas.

Há, assim, uma maior conexão entre consumidor e empresa, decorrente da assimilação de conceitos e representatividade. As companhias buscam alinhar, cada vez mais, seus planejamentos organizacionais, expondo propósitos e valores.

Impactos na produção

Esse novo modo de consumo das mais recentes gerações intervém diretamente sobre a produção mundial. As manufaturas — empreendimentos em geral — procuram compreender os problemas dos consumidores para conseguir oferecer uma solução prática, estando à frente das necessidades.

No caso da produção alimentícia, estar atrás das demandas significa resultados desagradáveis em pouco tempo. Analisando a agricultura, por exemplo, as alterações das exigências sobre determinados alimentos configuram modificações totais sobre a colheita — seleção de sementes, uso de agrotóxicos, implementação de tecnologias para controle de qualidade e inspeção, etc.

Afinal, os novos consumidores estão dispostos até mesmo a pagar quantias maiores por produtos mais específicos e de melhor qualidade, diferentemente das gerações mais antigas, que optam pelo tradicional.

Preocupações acerca da saúde e do envelhecimento são pautas recorrentes dos Millennials e Zs, fator que incide sobre os comportamentos de consumo contemporâneo. Atenção aos rótulos, maior consumo de verduras e frutas frescas, maior conhecimento sobre substâncias e abandono de produtos alimentares processados são algumas alterações de hábitos que certamente refletirão em acréscimos na qualidade de vida.

Nos setores de produção, essas concepções são sinônimo de diversificação, sobretudo nas colheitas, além do estabelecimento de um acompanhamento direto nos processos que vão desde o plantio até a mesa do consumidor.

Aviso

  • • Nossos editores/colunistas estão expressando suas opiniões sobre o tema proposto e esperamos que as conversas nos comentários de artigos do JORNAL MONTES CLAROS sejam respeitosas e construtivas.
  • • Os espaços de comentários em nossos artigos são destinados a discussões, debates sobre o tema e críticas de ideias, não as pessoas por trás delas. Ataques pessoais não serão tolerados de maneira nenhuma e nos damos ao direito de ocultar/excluir qualquer comentário ofensivo, difamatório, preconceituoso, calunioso ou de alguma forma prejudicial a terceiros, assim como textos de caráter promocional e comentários anônimos (sem nome completo e/ou e-mail válido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *